Pensionato de loucos... você entra e viaja nas mais loucas aventuras criadas por nossos consciêntes! Baseado na história original de Ken Akamatsu ~ LOVE HINA XD Divirta-se!
 
HallInícioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Israel mas que agito! (continuação)

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1 ... 12 ... 21, 22, 23, 24, 25  Seguinte
AutorMensagem
Mokona
Auxiliar da Gerência ^.^
avatar

Leão Cabra
Número de Mensagens : 514
Idade : 27
Localização : Pensão Hinata
Emprego/lazer : Dai Suki Tea House/Namorar
Humor : >.<
Data de inscrição : 08/01/2008

MensagemAssunto: Re: Israel mas que agito! (continuação)   Seg Dez 06, 2010 5:55 pm

*Mokona não imaginou que um simples sorriso de Xysuke, no meio de todo aquele caos, poderia lhe trazer tamanha calma e esperança. Aquele sorriso lindo, cheio de amor para com ela, os olhos confirmando que ele sabia que ela era ELA! Não tinha preço... a confiança que ele depositou nela, lhe deu forças! Ela iria de uma vez por todas liberar Larg e trocariam de corpo, ali mesmo! Já estava farta de deixar de lado as coisas que Larg fazia. Agora Larg ia ver quem Mokona era... a Mokona forte, a Mokona que amava, aquela que tinha a quem proteger!

Para distrair Khan, Mokona usaria uma das 108 tecnicas... Ela parou olhando Khan, com olhos apavorados. Largou a Soul Calibur no chão e correu em direção a ele, gritando como uma menininha assustada... alguns segundos antes de ela chegar bem próxima a ele, com um "puff", o corpo dela se transformou em 100.000 mokoninhas, pulando encima dele, e gritando "Pu pupupu pupuuuuuuuuu". Mokonas entrando na roupa, pra dentro da boca, nariz, cegando ele completamente. No exato momento em que o corpo de Mokona fez "puff", podia-se ver Soul Calibur, a grande foice de Larg/Mokona, chegando com toda a potência, encostando na faixa, e usando todo o seu poder para destruí-la. *


####################################



####################################

- SOULLLLLL CAAAAAAAAAAAAAAAAAAALIBURRRRRRRRRRRRRRRRRRR!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

*Se esse golpe não destruisse aquela faixa de energia, nada mais conseguiria... Mokona tinha colocado toda a força que tinha naquele golpe. Aos poucos o corpo invisível de Mokona ia aparecendo, ao mesmo tempo que as Mokoninhas iam sumindo também. Ela estava começando a fraquejar, sua força estava se esvaindo...*


_________________
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Azrael_I
Chefe da Guarda
avatar

Capricórnio Porco
Número de Mensagens : 186
Idade : 34
Data de inscrição : 11/01/2008

MensagemAssunto: Re: Israel mas que agito! (continuação)   Seg Jan 31, 2011 11:50 pm

OFF: EU ESTOU DE VOLTA!!!

ON:

*Eu e Ali saltamos para trás após o impacto inicial de meu cotovelo com a borda de sua cimitarra. O olhar dele era frio enquanto nos estudávamos... mas o meu também era, apesar de eu estar sorrindo.*

Az(Pensando): Por pouco...
Ali(Pensando): Eu não entendo... não consigo entender como ele fez isso! Ele conseguiu antecipar meu golpe e bloqueou minha espada, atacando com o cotovelo um pouco antes, apenas o suficiente para mostrar que havia previsto meu golpe, mas sem me dar tempo para mudar a direção! Como...?!

*Eu mudo minha postura; pés separados, base baixa, quadril encaixado, mãos levantadas na altura do peito. Ali então sorri.*

Ali: He, você é melhor do que eu imaginava. Estilo "Shoto-Hime", não é mesmo? Mas também posso notar que já treinou algo mais... Você é destro, uma de suas pernas é ligeiramente mais curta que a outra, e não parece ter preferência quanto a com qual lado do corpo atacar; está quase morto de inanição, desidratação e não consegue mexer as mãos...
Az(Pensando): ??? Ele conseguiu perceber tudo isso depois de um único movimento meu...? Não, ele vem me observando desde que entrei aqui; mesmo assim, eu mal me mexi... a capacidade de observação dele é assustadora.
Ali: Está tentando disfarçar seu receio com arrogância. Sabe que, no estado em que está, talvez não tenha a menor chance... e mesmo assim, ainda quer lutar?
Az: He, você fala demais... por que não tenta me atacar?
Ali: "No Karatê não existe o primeiro ataque..." se eu nunca te atacar, então esta luta nunca vai começar, não é? Muito bem então...

*Ali avança contra mim e desfere um golpe com a espada na altura do meu pescoço. Eu desvio e finto com meu cotovelo, mas ataco com minha perna esquerda. Ele bloqueia meu chute usando sua mão desarmada, segura minha perna e tenta cortá-la, mas desvio a lâmina chutando na borda com meu outro pé e salto pra trás; completando o movimento, aterrisso no chão e Ali desfere uma cotovelada contra mim, mas consigo me desviar girando pro lado e aproveito o giro para atacar com uma cotovelada em direção às suas costelas. Percebendo o perigo, Ali consegue saltar pra frente e escapar do meu golpe. Ele tenta atacar de novo, desferindo um arco inclinado com a espada, e desta vez eu apenas recuo, evitando o ataque. A espada dele atinge o chão de pedra, abrindo uma fina fenda. Ambos nos encaramos.*

Ali: Nada mal para um aquecimento. Que tal lutar a sério, agora?
Az: Eu digo o mesmo pra você.

*Novamente assumimos nossas posturas de luta. Mas Ali nota que há algo errado na minha postura. Algo que ele não consegue identificar, mesmo com sua habilidade de leitura corporal*

Ali(Pensando) O... o que é isso?
Az: Ah sim, à propósito...

*Para espanto dele, eu mudo minha postura e, quase instantaneamente, atinjo uma cotovelada em seu peito*

Az: ... a frase "Karate ni sente nashi" não significa que eu não POSSA atacar.

***

*Abubu estava em sua sala de tesouros, admirando suas aquisições e colocando a página do livro dentro de uma redoma. Ele alisou a jóia de um anel que estava em seu dedo e comtemplou-a por alguns instantes; em seguida voltou a olhar a bola de cristal. Ele viu Lety, Lola e Ishizu correndo pelos corredores do palácio*

Abubu(Pensando): Logo, logo eu terei visitas... nada que eu precise realmente temer, mas é melhor eu me preparar.

*Abubu pegou alguns objetos de seu tesouro e apertou um botão na parede, fechando a sala de tesouros. Olhando novamente a bola de cristal, ele tornou a focalizar minha luta contra Ali e sorriu quando eu acertei um golpe nele.*

Abubu: Pobre coitado... não faz ideia do que o espera.

***

*Ali se afastou um pouco após receber minha cotovelada.*

Ali: O que é isso? Por que conteve seu golpe?
Az: Você não é uma má pessoa, cara. Eu posso sentir isso.

Não sei o que está acontecendo, por que você está agindo assim, mas eu não posso enfrentar alguém nessa situação.
Ali: Do que está falando? Se não lutar comigo, eu irei matar seus amigos e você também.
Az: Pelo menos me dê uma explicação!

*Ali suspirou fundo. Por um instante, seu olhar amarelado desapareceu novamente, como quando ele riu antes, mas ele começou a segurar a cabeça, sentindo muita dor. Seus olhos começaram a emitir o mesmo brilho amarelado, agora mais intensamente.*

Ali: Eu não tenho nada que explicar a você. Se não quer lutar, tudo bem, cortarei fora sua cabeça com minha cimitarra. Morra! KILLER WIND!!

*Ali avança, concentrando a força de seu ataque; uma torrente de vento cortante avança junto com ele, acompanhando a trajetória da lâmina. Centenas de lâminas de ar me atingem, mas no último instante eu evito a cimitarra de Ali girando um pouco o corpo para o lado; o fio da lâmina passa a exatos cinco centímetros da minha pele, e embora não me toque, um corte surge na altura do meu estômago, e sangue espirra pela ferida. Ali então é quem gira e me atinge um chute exatamente em cima do corte, sou arremessado contra uma das colunas e trinco os dentes de dor. Antes que eu caia no chão, Ali salta novamente, atacando com sua espada; novamente eu consigo me desviar, inclinado a cabeça pra baixo, e a lâmina corta a coluna de pedra. Assim que meus pés tocam o chão, vejo Ali desferir o mesmo golpe inclinado que evitei antes, mas desta vez eu pressinto um perigo imenso; usando toda minha força, me jogo para o lado, e mal consigo ver um clarão que segue a trajetória da lâmina. Quando a luminosidade diminui, eu vejo que o golpe dele desta vez não fez apenas uma pequena fenda no chão de pedra, e sim que partiu a torre ao meio! Ao mesmo tempo, sangue escorre por um corte no meu peito, cruzando exatamente no meio do corte anterior, fazendo uma cruz na minha pele.*

Az(Pensando): Não resta dúvida... seja lá o que for, está obrigando ele a me atacar com toda sua força e técnica. Eu já passei por situações assim antes, e sei quando estou sentindo uma intenção assassina... não sei o que se passa na cabeça de Ali, mas neste momento ele realmente quer me matar.

*Olho de relance para meu corpo. Ali me atingiu poucas vezes com seus ataques, e quase todas de raspão, nenhum ataque direto me atingiu, mas meu corpo já está coberto de cortes e uma pequena poça de sangue já se forma sob meus pés; o Killer Wind com que ele me atingiu, se tivesse me pegado diretamente, teria me cortado em pedaços. Eu respiro fundo... e sorrio.*

Az(Pensando): Não tem jeito... vou ter que lutar com ele com tudo que tenho. É uma pena realmente, eu queria enfrentar esse cara quando fosse capaz de usar todas as minhas habilidades, mas...

*Ali fica em postura de luta, mas estranha quando deixo as pontas soltas de minhas correntes tocarem o chão com um som metálico. Até agora as correntes ficaram enroladas nos meus braços e não as usei para lutar, excetuando o golpe que usei para fechar a entrada. Mas agora sim eu realmente iria lutar a sério.*

Az: Como eu disse, não poderei fazer uma luta adequada com você, mas vou lutar seriamente desta vez. Prepare-se!

Continua...

_________________






"Queira o melhor... mas prepare-se para o pior do pior."

"Que Deus tenha piedade da sua alma... pois eu não terei!!!"
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ali Al-Said Samir

avatar

Capricórnio Porco
Número de Mensagens : 40
Idade : 34
Data de inscrição : 14/08/2009

MensagemAssunto: Re: Israel mas que agito! (continuação)   Ter Fev 01, 2011 12:42 am

*Eu vejo Az desenrolar as correntes, como quem desembainha uma espada. Posso notar em seus olhos, finalmente, o espírito de batalha. A partir dali, a luta iria ficar realmente violenta. O controle de Abubu não era como os fios de uma marionete, controlando cada movimento meu; na verdade, esse controle estava mais para um chicote, que me empurrava a fazer e falar coisas que, como Az disse, eu não queria. Eu não conseguia mais lutar contra esse controle, e apenas obedecia cegamente as ordens que meu irmão me mandava mentalmente. Foi assim que eu falei*

Ali: Vou matar você como um cachorro, usando essas correntes como coleira! KILLER WIND!

*Ataco Az com meu Killer Wind; minha cimitarra se move em movimentos circulares e ondulares, criando várias lâminas de ar com a pressão, e essas lâminas avançam junto comigo; ao me mover, é como se eu dançasse, ao mesmo tempo que percorro em instantes a distância que nos separa. É então que eu me espanto, quando Az faz alguns movimentos parecidos com os meus, girando a corrente do braço direito em volta do corpo e a esquerda para a frente. A corrente direita bloqueia todas as lâminas de ar, Az mais uma vez desvia da minha cimitarra e enrola a corrente esquerda no meu braço, afastando-o violentamente; Az balança a corrente e me joga pra longe, então estala a corrente direita como se fosse um chicote e desfere um ataque em minha direção. Mal tenho tempo de bloquear o golpe com minha espada e ele novamente balança a corrente esquerda, me jogando no chão; sinto minhas costelas se chocando com o chão de pedra, mas então ele me puxa em sua direção e me acerta uma cotovelada no rosto. Sou jogado novamente para trás com a força desse golpe, mas desta vez consigo me soltar da corrente e bloqueio o ataque da outra corrente com minha espada. Estou prestes a novamente partir pro ataque, mas novamente vejo a corrente direita vindo em minha direção; ergo a cimitarra para me defender, e o metal da corrente se choca com a lâmina. O que acontece então é que realmente me surpreende: sou empurrado para trás alguns centímetros pela força do impacto. O choque é tão grande que mal consigo bloquear o ataque seguinte; Az alterna ataques com as duas correntes e mal consigo me defender e novamente sou empurrado mais e mais para trás.*

Ali(pensando): É... impossível! Como os ataques dele conseguem fazer isso?! Nada deveria ser capaz de atravessar a defesa da minha cimitarra, mas seus golpes, ainda que levemente, conseguem superar em parte o encanto de minha arma e me empurrar... isso é... hã?!

*É então que vejo Az respirar fundo e então atacar rapidamente com as correntes; elas se movem em minha direção de forma tão rápida e tantas vezes que parece uma chuva de elos.*

Az: METAL RAIN!!!(nome do golpe inventado na hora)

*Az consegue mover as correntes como se fossem um ioiô, indo e voltando várias e várias vezes. Tento me defender, mas a velocidade com que sou atacado é realmente espantosa; poucas vezes enfrentei algo assim, e por estar enferrujado, acabo sendo atingido diretamente pelas correntes. O impacto é alto, e sou arremessado contra uma coluna; Az não pára de atacar, sua Metal Rain cada vez mais rápida, parecendo não uma chuva, mas uma verdadeira tempestade metálica; para quem olhasse de fora, parecia que Az estava me batendo não com correntes, mas com um sólido bloco de metal, de tão rápido que as correntes se moviam. A coluna vira pó e uma nuvem cobre tudo em volta. Az finalmente encerra o golpe e permanece em pé, ofegante, com suor saindo do rosto. Por um instante ele quase pode saborear a vitória, mas não consegue esconder a surpresa quando me vê sair da nuvem de poeira, quase ileso, com apenas alguns poucos arranhões. Seus braços pendem, exauridos e ele solta um grunhido de dor.*

Ali: É a primeira vez em anos que sou atingido desse jeito... você realmente é alguém fora do normal.
Az: Está enganado... puf, puf... sou apenas um sujeito esforçado...
Ali: Modéstia não combina com você, rapaz. Poucas pessoas conseguiriam fazer isso que fez, ainda mais no estado que está.
Az: Puf... qualquer outra pessoa que tivesse passado pelo que eu passei... que tivesse recebido o treinamento que recebi... e enfrentado os oponentes com que lutei... com certeza seria de dez a quinze vezes mais forte do que eu.
Ali: Hehe... realmente, não combina. Mas gostaria que me dissesse, como seus ataques conseguem ultrapassar o encanto da minha cimitarra?
Az: Eu notei que sua arma parecia absorver a força dos meus ataques. O segredo não é nem o impacto nem a velocidade em si, mas uma combinação do ângulo de ataque com a velocidade.
Ali: He, então por isso você aumentou a velocidade de forma progressiva com ângulos aleatórios...

*Eu ergo novamente minha cimitarra, e Az novamente assume sua postura de luta. Embora ofegante, ele não me aprece exaurido depois do golpe que fez, mas se mantém firme.*

Ali(pensando): Mesmo assim, não é qualquer um que perceberia parte do poder de minha cimitarra. Além disso, embora possa sentir claramente o Ki dele, não senti nenhum Ki no golpe que ele acabou de usar, e seu Ki não diminuiu nem um pouco apesar do esforço... isso significa que esse golpe foi feito com pura técnica?! A precisão desses movimentos é sobrenatural, ele não é ninguém normal MESMO... para vencê-lo, terei que usar o máximo de minhas habilidades... e minhas armas.

*É só então que vejo Mokona atacar minha faixa, com um ataque espetacular. A espada de Mokona atinge a faixa e ela se estica bastante; Mokona atravessa o salão, sempre com a faixa sendo esticada, até que de repente um corte surge e a faixa se divide em duas, soltando Larg. Eu não posso acreditar.*

Ali: Não... pode ser...!

*Só então que eu vejo que a arma de Mokona também é encantada; uma onda de fúria se apossa de mim e eu avanço contra Mokona, mas a corrente de Az se enrola em volta de mim.*

Az: Pode parar aí... EU sou o seu oponente. Como eu disse, se quiser encostar em algum dos meus amigos, terá que passar por mim primeiro!

*Eu encaro Az. Toda a fúria que estava sentindo por Mokona agora estava direcionada a ele. De repente, a corrente que prendia meu braço cai no chão, cortada na parte que estava enrolada.*

Az(Pensando): O que...! Eu mal vi quando ele moveu a espada!
Ali: Tem razão. A brincadeira acabou. Vou lutar com você como um oponente que merece ser eliminado.

*Apanho os dois pedaços da minha faixa e os uno, como se eles fossem feitos de massa, e depois os ato ao pedaço que estava enrolado no meu corpo. Ao mesmo tempo, Az estala as correntes e faz dois buracos no chão de pedra. O verdadeiro combate iria começar agora.*

Continuem...

_________________


"Mac Allah(Poderoso é Deus)... eu sou apenas Seu humilde servo."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lola Chan

avatar

Escorpião Cabra
Número de Mensagens : 39
Idade : 26
Localização : Tóquio
Emprego/lazer : Treinar no dojo
Humor : ¬¬
Data de inscrição : 23/06/2009

MensagemAssunto: Re: Israel mas que agito! (continuação)   Seg Fev 21, 2011 1:50 am

Kami

Personificação de um Deus representando em algum animal, ou ser de mitologia. Ele esolhe o seu protegido e se apodera de seu corpo antes de seu nascimento.
Todo o ser humano possue um.

O despertar:

Quando envolvido em dificuldades, o protegido pode escolher utilizar de sua força, sabedoria utilizando a seu favor. Mas, vale lembrar tudo tem seu preço! A ativação do Kami pode trazer a sorte ou a desgraça de quem o carrega ou é protegido.

Quando disperto, ele assume a vontade do portador, lhe dando uma nova coloração em seus olhos, pode mudar sua forma fisica, e se não controlado pode até satisfazer sua própria vontade.

Surge como uma tattoo rasgando a pele e a carne de seu hospedeiro. Ocasionando a perda de sangue frequente. Pode uma vez que usado em demasiado, levar a morte do escolhido dele, ou seja, você pode morrer.


††††††††††


"Se eu cair, eu irei me levantar. Disso eu tenho certeza!" Lola Naruza.

Next Chapter: Interrompendo seus planos.


Elas já estavam a frente da porta do esconderijo de Abubu, realmente não importava para Lola como e quando, ela queria agora.

- Se afastem... - Falou as garotas desenbanhando as espadas chinesas ying e yang.

Lety, Lana e Ishizu se afastaram observando Lola atentamente.

- Abubu eu vou falar apenas uma vez! E em 3 eu arrombarei essa porta blindada.

Lety, Lana e Ishi se entreolham apavoradas.

- Pare com isso, pois será melhor pra você! - Lola fechou os olhos.

Todas se afastaram ainda mais, um sangue percorria pelas costas de Lola, algo surgia em suas costas, uma cobra.

- ... ME AJUDE... KAMI! - Ela gritou urrando de dor e fúria. - O último recurso... - Lola girou as espadas e delas saiam energias assombrosas, pelo seu corpo saindo daquela tattoo apareciam descargas elétricas que a faziam sentir o poder do seu kami.



- FATAL BITE! - As espadas eram como dentes afiados, naquele mesmo instante lola saltou em direção a porta e cravou elas ali com tanta brutalidade que era visivel os tremores de seus braços, descargas elétricas percorriam tudo ao redor e uma fumaça vermelha saia de seu corpo; ela abriu os olhos e enxergou a fraquesa da porta rompendo-a como uma simples melancia fatiada.



A porta literalmente tombou com facilidade, e uma fumaça tomou conta dali.


CONTINUA...

_________________
"Não importa o quanto eu caia, eu sempre irei me levantar!"


"Sua vida não pertence mais somente a você, divida comigo, e terás meu poder." - Kami Serpente.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Kunisaki Sagara

avatar

Capricórnio Cachorro
Número de Mensagens : 8
Idade : 47
Localização : To sempre viajando
Emprego/lazer : Empresário
Humor : ^^/
Data de inscrição : 23/10/2009

MensagemAssunto: Re: Israel mas que agito! (continuação)   Seg Fev 21, 2011 2:01 am

Enquanto todos estavam ocupados matando seres mitologicos e estranhos, Kunisaki simplesmente passa por todos de fininho, carregando consigo alguém escondido em um manto marrom.

- Muito bem... Agora só preciso ver como chegarei lá...

Moe vê Kunisaki e se aproxima dele.


- Kuni sama? o.o O que faz aqui?

Kunisaki: Apenas ajudando... De certa forma. *ele sorri olhando para aquele embrulho andande*

Moe: ah... Hai... o.o'... Então se você tá procurando a Lety ou as outras... Elas foram para lá! *aponta*

Kuni: Obrigada Moesinha, era justamente tudo que eu precisava saber... *ele ouve um som de helicoptero sabia que Sao não estava disposto a se envolver, então apenas sorriu ao ouvir a aeronave se distanciar.*

Ele passa pela luta de az e ali sem ao menos dar importancia, tudo estava um caos mas ele continuava sorrindo de uma forma estranha...


continua...

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lety Chan
Gerente
avatar

Leão Coelho
Número de Mensagens : 343
Idade : 31
Localização : Porto Alegre - RS
Emprego/lazer : Fazer nada ou ajudar os amigos
Humor : Mutante
Data de inscrição : 08/01/2008

MensagemAssunto: Re: Israel mas que agito! (continuação)   Seg Fev 21, 2011 2:28 am

Lety estava surpresa com a ação de Lola, caminhou até ela retirando a poeira da cara.

- Você está bem? Lola isso foi muito bom e...

Palmas eram ouvidas naquela sala enorme, as luzes se acenderam e no alto de uma escada cercado por conputadores estava Abubu, virando a cadeira para poder observá-las melhor.

- Meus parabéns, invadiram meu esconderijo com a devida classe... Sinto-me honrado com a presença de todas vocês...

Ishizu estava na forma Lycan se posicionou na frente das outras.

- Não tente nenhuma gracinha Abobado Hajibunda! - Ela rosnou.

Le: *acalmou Ishizu* ehm... calma ai Ishi, só porque ele é o senhor do mal, não quer dizer que você deva agir como ele.

Todas olharam para Lety espantadas com aquela calma incomun.

La: Mana, você tá batendo bem das idéias?

Le: perfeitamente... Uma vez que posso ver este homem de perto novamente...

Lo:... *se levanta e fica o encarando*... Você... Não mede as consequências de seus atos insanos não é?

Abubu apenas ri do comentário de Lola.

- E o que você acha que estou fazendo de tão cruel? Eu apenas desejo poder e riqueza, seus itens preciosos me fornecerão uma gama enorme disso. Mesmo sendo tão rico, ainda sim, desejo o poder absoluto. "Se eu estrair o poder que desejo, posso realizar aquilo que venho planejando a muito tempo..." - Por um momento ele ficou corado, mas, logo voltou a ficar com o ar debochado.

Lety semi-cerrou os olhos, e ficou tentando invadir a mente ele inconsciente, e descobriu um ponto fraco.

- Eu vim aqui saber uma coisa... Você está com a página do livro de Ísis?

Abubu: Essa? *revela a página* Por que acreditar tanto nessa bobagem? Você e suas reencarnações são realmente uma piada Lety... Acha mesmo que isso vai acabar com o exército de Horus?

Le: Sim... ISHIZU! *ela grita para a outra que rapidamente recupera a pagina utilizando uma agilidade suprema* VEJA...

Abubu: *ficou impressionado, ainda era encarado pelas outras enquanto via Lety encorporando Nefertiti* interessante...

Le pensa falando para a irmã: Lana... Ouça meus pensamentos enquanto eu estiver lendo o ritual em voz alta, e faça exatamente o que eu disser.

La: *OLHOU PARA LETY DE CANTO DE OLHO E FEZ UM SIM COM A CABEÇA DISCRETAMENTE* ... Abubu... Soube que tens fetiches por jovens loiras... isto é devido a sua raça que não possue essas raridades...

Abubu cruzou os braços e sorriu.

- O que pretende Lana...? Achas que é esperta...

La: Claro que sim... e sabe pq? ^^

Abu: hum?

La: ^-^ porque eu também possuo um Kami... *Seus olhos mudam de cor e uma energia do tempo se desprende dela criando um mundo ilusório também conhecido como SONHO*... Sou uma SUCCUBUS, e agora você está sob meu poder... *O via dormir enquanto caminha invadindo o sonho daquele homem se aproximando de seu corpo completamente nua*



- Vamos ver o quanto pode aguentar com minha tortura... Agora que irei invadir seus sonhos... - Sua risada era sexy e seu olhar perverso.


Fora dali, Lola e Ishizu procuram pelo livro dos mortos, Lety/nefertiti pronunciava as palavras sagradas contra-feitiço do livro que as outras procuravam.

Le pensa: Continue... E procure saber o que mais ele esconde em sua alma...

La responde: Não precisa nem pedir, será um INTENSO, prazer...

TO BE CONTINUED...

_________________
"Onde a mais pura criatura vive, fica no oceano, que tocando levemente a terra, ostenta formas as margens do teu olhar. Anjo concebido do amor puro, proteja a quem me visita, a quem participa, pois aqui é o nosso lugar!"

Sempre que posso estarei com vocês!

I'm not afraid of the future and you?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Azrael_I
Chefe da Guarda
avatar

Capricórnio Porco
Número de Mensagens : 186
Idade : 34
Data de inscrição : 11/01/2008

MensagemAssunto: Re: Israel mas que agito! (continuação)   Dom Fev 27, 2011 8:18 pm

AZ X ALI: LUTA ADEQUADA

*Ali não perde tempo e começa me atacando com a faixa, usando-a de forma similar a como eu estava usando as correntes, ou seja, me golpeando à distância. Eu continuo com a mesma tática, defendendo com uma corrente e atacando com a outra, enquanto Ali praticamente só defendia com a espada e atacava com a faixa; eu ia alternando ataque e defesa, ora atacava com a corrente direita e defendia com a esquerda e ora fazia o contrário. Procurava também variar a forma como atacava, desde ataques diretos como se usasse um arpão com corda até ataques como se minhas correntes fossem espadas; cada ataque que Ali defendia fazia a corrente resvalar e bater em volta da sala da torre, e era realmente como se uma espada atingisse as paredes e colunas da sala, causando vários cortes na pedra. Urrando, eu descrevi um arco com a corrente e Ali fez o mesmo com sua espada; no último instante eu mudei levemente o ângulo de ataque e a corrente bateu na borda da lâmina. Somos jogados para trás pela força do impacto, mas ambos ainda estamos de pé, ofegantes... eu mais do que Ali*

Az(Pensando): Puf, puf... Essa foi por pouco... se eu não tivesse feito isso, ele teria cortado a corrente, e ela sairia voando como se fosse uma serra... e acertaria em cheio Xysuke, Mokona e Larg!

*Olho com o canto do olho onde meus amigos estão, e um leve calafrio passa pelo meu pescoço, imaginando a cena sangrenta que teria acontecido...*

Az(Pensando): Ele realmente decidiu me matar! Não posso mais hesitar um instante!

*Avanço contra Ali, atacando com a corrente direita. Ali sorri*

Ali: Tolo.

*Ali espera meu ataque, de frente. Eu percebo tarde demais, o instante em que ele faz o mesmo movimento rápido de antes, quando cortou um pedaço da corrente que segurava seu braço; desta vez, entretanto, ele atinge a corrente pela ponta, cortando-a no sentido longitudinal. Os elos são cortados exatamente no meio. Como eu percebi o ataque, consegui retirar minha mão a tempo, mas tudo o que sobra da corrente direita é uma fileira de três elos, próximos à algema do meu pulso. Os outros elos caem no chão, cortados ao meio.*

Az(Pensando): Um pouco mais e...!
Ali: Um pouco mais, e seu braço teria sido cortado fora junto com a corrente. Tsc... acho que ainda estou te subestimando um pouco.
Az(surpreso por ele ter adivinhado meus pensamentos): He... eu confesso que até que estou feliz. Não por enfrentar alguém com sua força ou habilidade, mas pelo fato de que, até agora, você não me perguntou se eu me renderia, diferente de outros que enfrentei.
Ali: Nós dois somos guerreiros, não importa a origem. E esta é uma luta até a morte. Oferecer uma chance de rendição seria uma desonra.
Az: Eu sei... e foi justamente por isso que eu não ofereci uma a você.

*Ali começou a rir de novo, mas desta vez não voltou à sua personalidade normal(mas quase). Segurando o riso, ele ainda falou*

Ali: Hehehe... eu tenho de confessar, exceto seu amigo Harima, há tempos não luto com alguém tão habilidoso nas artes marciais; com certeza você tem mais habilidade de combate do que alguns dos meus mestres, e experiência também... Nunca ninguém antes conseguiu lutar com minha lâmina usando pura técnica. Mesmo assim, você tem que reconhecer sua própria resistência; não apenas seus machucados, e o estado que seu corpo está depois dos meus golpes, o esforço para fazer isso que está fazendo é sobre-humano. Quanto mais suas mãos vão aguentar?
Az: He... realmente... por não conseguir mexê-las, ao mover os braços do jeito que estou fazendo para aplicar a técnica correta eu posso acabar quebrando os pulsos. Então vamos terminar logo esta luta, ok?
Ali: Concordo. Em guarda!

*Encaro Ali e novamente fico em posição de luta. Apesar do que eu falara, eu não estava muito esperançoso; as palavras dele eram verdade, eu tinha muito pouca chance agora, ainda mais com uma única corrente. Seria tudo ou nada. Fazendo um movimento mais curto do que um milímetro com meu braço, eu estalo a corrente no chão; a força do impacto racha o chão e cria um vento fortíssimo. Ali movimenta a espada para trás, como quem embainha a espada na cintura para fazer uma técnica de Iai(saque); era a primeira vez que eu via isso sendo feito com uma cimitarra, mas sem dúvida seu próximo golpe seria um ataque de Iai. Ali por sua vez nota minha postura; ele sabe o tipo de golpe que irei usar. Ambos saltamos ao mesmo tempo na direção do outro; eu balanço a corrente em arco, novamente como se fosse uma espada, e várias colunas são cortadas pelo meu golpe, indo na direção de Ali, que sorri. Ele ataca*

Ali: Acabou para você! ZAN-GAN-KEN!!!

*O Zan-gan-Ken de Ali avança contra mim descrevendo um arco parecido com o da minha corrente, também atingido as colunas em volta; diferente de mim, entretanto, o Zan-gan-ken transforma as colunas em poeira, literalmente. Os dois golpes se cruzam e se atingem; o Zan-gan-ken arrebenta completamente a corrente e por um segundo Ali sorri, certo da vitória. É só então que ele vê que eu já havia mudado minha postura e saltado, desviando de seu golpe, quase que ao mesmo tempo que nossos golpes se chocaram. Eu aproveitei o pequeno diferencial de tempo, o mínimo atraso de poucos milionésimos que as colunas de pedra deram a nossos golpes para fazer aquilo. Ali só teve tempo de ver que eu carregava em minhas mãos as duas correntes que ele havia cortado.*

Az: É agora! ELO METRALLETA!!

*Arremesso todos os elos e pedaços de elos das correntes contra Ali; faço o ataque vir de duas direções, já que fiz dois arremessos simultâneos com as mãos. Surpreendido, Ali é atingido em cheio pelos elos que o atingem de cima, e some numa nuvem de poeira. Eu consigo sorrir e sinto uma tontura forte; a perda de sangue pelos ferimentos estava sendo um pouco demais para mim, que já estava um pouco anêmico. É então que todos ouvem um ruído imenso. O teto estava desabando!*

Az: Ô saco... acho que a gente cortou colunas demais... medo

*Com um imenso ruído, o teto da torre desaba completamente. Kunisaki, que havia passado pela torre rapidamente, também quase é pego pelo desmoronamento mas escapa. A torre ainda estava de pé, mas sem sua cobertura. Pouco depois, eu saio de debaixo dos escombros tossindo e cuspindo poeira.*

Az: Cof, cof... Moka-chan! Xysuke! Larg-chan! Cadê vocês...!? Eu...

*É então que percebo uma presença às minhas costas. Por pouco eu não consigo desviar, mas sou cortado quase até os ossos nas costas.*

Az: Ali!!!

*Ali também havia saído de debaixo dos escombros; estava com um olhar furioso e sua espada escorria sangue. Meu sangue*

Ali: Ungh... eu agora entendo o que você quis dizer com "não poder fazer uma luta adequada"... seu jeito pouco ortodoxo de lutar é imprevisível demais... é a única forma de lutar em seu estado, eu entendo, mas...

*Ali faz um movimento e corta um pedaço de parede que ainda estava de pé; eu agora podia sentir não apenas sua intenção assassina, mas sua fúria.*

Ali: ... é MUITO irritante!

*Ali avança novamente contra mim, atacando com sua espada. Sem minhas correntes, a única forma de lutar agora era desviar das investidas. Ali me atacava freneticamente, cheio de fúria. Em um dado instante, ele avançou estocando em direção ao meu coração; seria morte instantânea se ele me atingisse.*

Az: SHIRAHA NAGASHI!

*Meu braço esquerdo gira como um pião de fora para dentro, batendo na borda da lâmina e atingido Ali no peito. Ali é arremessado para trás e eu grito de dor. Surpreso, ele me vê novamente na postura de Karatê*

Az: O Karatê foi criado inicialmente para que homens desarmados pudessem enfrentar samurais com espadas... não há desvantagem aqui. Só preciso lutar de uma forma "mais ortodoxa", como você disse.

*Meu pulso estala, mas seguro o gemido*

Az(Pensando): Mesmo assim, eu não devia ter feito aquilo... o Shiraha Nagashi é um soco girando a mão, usado para defender de uma espada e atacar ao mesmo tempo com a mesma mão... mas eu fiz isso sem fechar minha mão! Bati nele usando o kakuto(costas da mão, perto da artculação); com a força do impacto, foi quase como se eu tivesse caído do alto de um prédio de cinquenta andares com meu peso todo sobre as costas da mão... não fosse meu treinamento, meu pulso teria virado poeira e os ossos do braço teriam atravessado a mão. Não posso mais usar o Shiraha Nagashi... e nem sei se vou conseguir socar novamente depois dessa.

*Olho para Ali, ofegante depois do golpe que levou no estômago.*

Az(Pensando): A força com que atingi ele teria aberto um elefante no meio... Não me enganei, ele passou por um treinamento físico tão intenso quanto o meu, no mínimo. E diferente de mim, ele não deve ter começado tarde seu treinamento...

*Uma sombra de tristeza passa por meus olhos, quando lembranças tristes me vêm à mente. Ali, por sua vez, também sofria com suas próprias lembranças, em meio à sua mente nublada pela dor da dominação de Abubu. Mesmo assim, ele sorriu*

Ali: Você realmente acha que está em condições de me enfrentar de igual para igual? Talvez até pudesse, se minha cimitarra fosse uma arma normal... infelizmente para você, ela não é.

*Eu sinto uma dor imensa percorrer meu braço. Só então eu noto que o braço com que defendi está com um corte imenso, desde o meu ombro até a algema que ainda está no meu pulso; meu braço quase havia sido cortado ao meio, como minha primeira corrente. Muito sangue saía pela ferida. Eu dou um passo para trás.*

Ali: O encanto da minha cimitarra é poderoso, pois foi feito para que apenas o Cavaleiro das Arábias fosse digno de empunhá-la; minha cimitarra foi forjada com magia, e portanto possui um fio muito mais afiado que a melhor espada jamais feita. Se você tivesse usado a defesa Shiraha Dori(defesa em que se apara uma espada com as palmas das mãos), em vez da Shiraha Nagashi, talvez tivesse se machucado menos, mas sei que com suas mãos assim é impossível fazer a defesa pegando a espada com as duas palmas.
Az(Pensando): Ele sabe até isso?! Então ele sabia o tempo todo que eu iria usar a Shiraha Nagashi! Fez isso só pra que eu machucasse a mão... e cortasse o braço. Tsc...

*Eu abaixo minhas mãos. Não é possível ver meus olhos. Ali sorri, sentindo minha humilhação. Ele avança, descrevendo um arco com a espada, em direção ao meu pescoço. Quando a lâmina está a dois centímetros, eu balanço minha cabeça pra frente e Ali não acredita no que vê. Seguro a lâmina da espada de Ali... com os dentes.*

Ali: Shiraha Dori... com os dentes?!

*Eu solto a lâmina, salto para trás e atinjo Ali com um chute em seu queixo de baixo para cima, jogando-o contra alguns escombros. Em seguida, eu corro para trás de outra parede, e com muito mal jeito(já que não conseguia mexer as mãos) eu começo a enrolar um pedaço de pano(da decoração da torre) no meu braço e aperto com os dentes.*

Az(Pensando): Agh... eu já perdi muito sangue... por sorte nenhuma veia ou artéria grave foi cortada, mas não tenho como conter a hemorragia agora. Preciso de alguns segundos.

*Cuspo um pouco de sangue; minha defesa não foi perfeita, mas pelo menos ainda tinha todos os dentes e a língua no lugar. Eu me ajoelho no chão e me concentro. Tento afastar da mente a dor, o cansaço, o fato de que, se pudesse usar meu Ki, eu poderia fazer aquelas feridas sararem... e expando meus músculos como um balão. A hemorragia pára, mas a dor continua. Meus músculos voltam ao normal.*

Az(pesando): Aii... faz anos que não uso essa técnica de Yoga... controle absoluto das funções corporais e dos órgãos. Eu confiei tanto exclusivamente no treinamento do meu Ki que acabei deixando de lado coisas importantes... se tivesse feito isso há mais tempo... mas estou enferrujado demais para usar isso em combate. Ai! Preciso recolocar meus órgãos no lugar...

*Volto a me concentrar. Embora esteja conseguindo fazer a técnica sem a precisão adequada, estava funcionando. Só havia um pensamento que eu não conseguia afastar de minha mente: Lety-chan. Apesar de tudo o que estava acontecendo eu não conseguia deixar de pensar aonde ela poderia estar, como ela estava...*

Ali: Morra!

*Ali corta a parede atrás da qual eu estava e tenta me atingir; eu estava meditando na posição de seiza(sentado sobre os joelhos) quando ele atacou e então saí da posição, desviando da espada, agarrando o braço armado de Ali com minha axila e golpeando-o com o outro cotovelo. Derrubo Ali no chão e tento dar-lhe uma chave com as pernas, mas ele consegue movimentar a cimitarra e me corta novamente as costas; sou obrigado a soltá-lo e saltar para trás. Ali se espanta então que eu voltei à posição de Seiza, com os olhos fechados.*

Ali: Seu Shikko(movimentação em Seiza) mal conseguiu te salvar do meu último ataque, porque acha que vai funcionar agora?
Az:...

*Ali novamente ataca, mas desvio da cimitarra por questão de poucos centímetros. Levanto rapidamente e atinjo-o no peito com um chute. Ali novamente é jogado para trás, bastante ofegante. Continuo de olhos fechados.*

Az: Estava desconcentrado demais... se eu continuasse daquele jeito, com certeza você iria me matar sem dificuldade. Porém, se eu mantiver minha mente calma, não tem como seus golpes me atingirem.
Ali: Tem certeza...?

*Ali avança novamente e tenta me atingir. Eu não me preocupo em contra-atacar, me concentro totalmente na defesa. Ele ataca várias vezes, e todas eu consigo escapar por um triz, simplesmente desviando da lâmina. Furioso, Ali aumenta o ritmo, e então de repente, quando desvio de mais um ataque com a espada e preparo para finalmente contra-atacar, noto que ele vai tentar me atingir com um soco da mão desarmada no rosto. Não consigo desviar a tempo, mas bloqueio o golpe com meu braço. Ali sorri*

Ali: Te peguei!
Az: O que...?

*A faixa de Ali se enrola no meu braço como se fosse viva e, se esticando, se enrola no meu corpo todo. Fico enrolado da mesma forma que Larg ficou antes e sinto meus músculos e ossos sendo esmagados*

Az: UUUAAAAARRRRGGHH!
Ali: Esta faixa é capaz de exercer toneladas de pressão. Mesmo se você tivesse a força de uma baleia, ela esmagaria você como se fosse um tubo de pasta de dente.

*De fato, sinto a imensa força da faixa me apertando. Fecho meus olhos e me concentro. Para espanto de Ali, eu consigo ficar de pé e afrouxar um pouco a faixa, que não pára de me apertar, cada vez mais.*

Ali: Não é à toa que aguentou lutar até aqui... e me acertou com aquela força toda. Mas isso é tudo que vai conseguir. Aquela garota só conseguiu cortar minha faixa porque a espada dela também possui uma grande quantidade de magia... coisa que você não tem. Logo seus ossos irão se partir, e sua circulação será cortada. Como sua mão está na frente do pescoço, devido à defesa que usou, você não será estrangulado, mas a falta de sangue irá matar seu cérebro. Infelizmente, não estou disposto a esperar. Vou cortar seu braço junto com sua cabeça.

*Eu começo a suar frio. Se eu tivesse meu Ki, talvez eu conseguisse me mexer e escapar do golpe fatal, mas estava precisando de toda minha força para ficar em pé. Ali atacou em direção ao meu pescoço, mas eu dessa vez afrouxei os músculos, fazendo a faixa me apertar novamente e caí no chão, escapando do golpe fatal. Ali se enfureceu e pisou no meu peito.*

Ali: Já cansei de você! Fique parado para eu te matar!
Az: Vá... se ferrar...
Ali(Pensando): Estranho... sinto uma pequena dose de mana nele, mas ele não parece capaz de usar magia... não importa agora, ele nunca vai ter chance de fazer isso.

*Acabou. Eu não ia conseguir escapar. A cimitarra de Ali descreveu um arco na direção do meu pescoço; Ali já podia ver, meu sangue jorrando e minha cabeça rolando pelo chão. Mas não foi o que aconteceu.*

CLANG!

Ali: O que...?!?

*A cimitarra de Ali atingiu com força suficiente para cortar sua faixa que me enrolava... mas não conseguiu atravessar a algema que estava no meu braço. Ali saltou para trás, espantado, e eu me soltei da faixa que ele mesmo havia cortado; eu também não cabia em mim de assombro*

Ali: O que raios são essas algemas...?

*Me levantei ainda espantado. As algemas emitiam um brilho leve e pálido, como uma tomada no escuro. De repente eu sorri.*

Az: He. Aquele exagerado do Deadline. Eu já sabia que os grilhões que ele usou para me prender não eram feitos para conter qualquer um... mas não imaginava que ele houvesse reforçado essas porcarias com magia.
Ali(Pensando): A energia mágica que senti... vinha dessas algemas?! Mas como elas conseguiram resistir a um golpe direto da minha cimitarra?!?

*Ali urrou e me atacou. Dessa vez eu me defendi diretamente, bloqueando o fio da espada com a algema do braço direito. Ali atacou de novo, e me defendi usando a esquerda. Meus dois braços, que antes estavam praticamente inutilizados, agora eram minha melhor defesa, graças ironicamente a um par de braceletes que haviam sido feitos especialmente para me aprisionar. Ali continuou com seus ataques, e eu prossegui me defendendo, até que de repente avancei e ataquei, tentando chutar Ali no rosto; ele saltou para trás e ficou em posição de luta. Eu novamente mudei minha postura, assumindo de novo a base de Karatê*

Az: Pelo visto, AGORA a luta está equilibrada. Venha, Cavaleiro das Arábias!

*Eu e Ali nos encaramos. Em seguida, avançamos um contra o outro, trocando golpes, defesas e esquivas. A luta estava ficando do jeito que eu considerava adequada.. ou seja, divertida.*


Continua...

_________________






"Queira o melhor... mas prepare-se para o pior do pior."

"Que Deus tenha piedade da sua alma... pois eu não terei!!!"
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ali Al-Said Samir

avatar

Capricórnio Porco
Número de Mensagens : 40
Idade : 34
Data de inscrição : 14/08/2009

MensagemAssunto: Re: Israel mas que agito! (continuação)   Seg Fev 28, 2011 2:44 am

ALI X AZ: QUEBRE!!!

*Eu e Az trocávamos golpes. Já havia enfrentado outros oponentes desarmados antes, mas nunca um que aguentasse tanto tempo, lutando daquele jeito. Além disso, agora Az não estava exatamente desarmado; seus braceletes funcionavam como guanteletes(peça de armadura que protege os braços), e era ainda mais difícil atingí-lo. Eu não podia deixar ele notar o quanto eu estava machucado, devido aos golpes que ele me acertou; foram poucos golpes, mas alguns deles me machucaram bastante, principalmente o Shiraha Nagashi. Por outro lado, Az havia sido atingido por muitos dos meus golpes e havia perdido muito sangue; eu podia notar que ele estava lutando bem, mas seus movimentos evidenciavam uma leve tonteira pela perda de sangue. Era estranho que ele apresentava quase nenhum cansaço... mas ele não iria aguentar muito tempo devido à perda de sangue; a forma como ele estava lutando evidenciava que ele não estava visando um golpe para me matar. Depois de ele bloquear mais um golpe da minha lâmina, eu o pressiono contra uma parede e ficamos cara a cara, com minha espada e seu bracelete entre nós dois.*

Ali: Me diga, você teve a chance de me matar antes, por que não o fez?
Az: C... como assim?!
Ali: Quando usou o ataque com os elos, eu notei que você não mirou em nenhum ponto vital, nem tentou me cegar... Por quê?
Az: Eu não estou lutando aqui para matar você, cara... eu estou lutando para proteger meus amigos. Para reencontrar a mulher que eu amo. E para TE salvar também!
Ali: Eu... por Allah...

*Meus braços fraquejam quando ouço isso. Eu páro de empurrar Az e de repente caio ajoelhado no chão, gritando, sentindo muita dor de cabeça.*

Az: Ali...!


***

*Enquanto isso, nos aposentos de Abubu, meu irmão estava em transe, hipnotizado pelo poder de Lana. Lana tentava descobrir o que Abubu escondia. Nos sonhos dele, Lana consegue ver Abubu conversando com alguém: Deadline.*

Abubu: Você? O que quer aqui? E como entrou?
Deadline: He, isso é jeito de falar comigo, Abubu?
Abubu: Deveria falar de forma muito pior! Você não disse que cuidaria de Azrael?!
Deadline: E cuidei, só não disse que o mataria.
Abubu: E por que não o matou? Sabe o quanto ele é perigoso para o plano!
Deadline: Anos atrás, Azrael me arancou um braço, e ajudou Harima a me impedir; desde então, eu sonho em matá-lo... Acredite, nada me deixaria mais feliz do que isso, mas não tive escolha. "Ele" não quer isso, por enquanto.

*O sonho muda. Lana é capaz de ver mais imagens, mas desta vez não consegue ouvir muito bem. Abubu e Deadline estão... ajoelhados e de cabeça baixa? Uma figura sombria está diante dos dois; com certeza era o tal "ele" que Deadline havia falado na outra parte do sonho. Lana não consegue ouvir a voz dele e nem ver seu rosto, mas apenas a visão da silhueta dá a ela uma sensação que nunca havia sentido antes; é um misto de pavor e asco, uma vontade de vomitar apenas por olhar na direção dele... ou daquilo. Lana nota que Abubu está falando, e começa a escutar bem baixo as palavras.*

Abubu: Coletar itens mágicos e poderosos... grande plano... Deadline... vingança... o senhor... o s..enh...or... "senhor N..." Ungh!

*Abubu sussurrou mais alguma coisa que apenas Lana escutou, e quando ia falar mais, de repente ele acordou do transe.*

Abubu: ALI!!!

*Lana foi atingida por alguma coisa que Abubu usou, um tipo de magia... nada que realmente a machucasse, já que ele não estava em condições para isso, mas o ataque de Abubu fez Lana voar para longe, caindo perto de Lety. Abubu se levantou, ainda meio zonzo, e colocou uma espécie de coroa na cabeça*

Abubu: Tsc... fui descuidado... não sabia que alguém entre vocês tivesse esse tipo de poder, isso não estava em suas fichas... e não esperava que quem fosse me salvar fosse justamente o idiota do meu irmão! Meu encanto sobre ele quase foi quebrado...

*Abubu olhou para cima*

Abubu: Ali! Ouça o que lhe digo! O homem diante de você é seu verdadeiro inimigo! Mate-o! Acabe com ele usando toda sua força e todo seu poder! Obedeça a mim... seu mestre!

*Então ele olhou para Lety e Lana, sorrindo ao ver o rosto delas*

Abubu: A raiva, o cansaço e o ódio dão um tempero especial às suas belezas, garotas. Louvado seja Allah, por ter criado a beleza feminina e permitido aos homens apreciar na Terra este agradável pedaço do Paraíso. Outros nesta situação ficariam tentados a enfrentá-las, mas diferente de meu tolo irmão eu sou um amante, e não um bárbaro... À propósito, Lana, não precisa se preocupar em tentar usar seu poder de novo contra mim; esta coroa de Skellos me imuniza a qualquer forma de controle mental, e graças ao poder do Olho de Medéia, posso controlá-las, como fiz com Ali, Ling, Gogo e... esta aqui...

*De uma porta que se abriu, entra Talim. Ela estava com o mesmo olhar de Ali e Ling. Ao mesmo tempo, Abubu sorria e mostrava um globo de cristal, onde as duas puderam ver eu e Az lutando*

Abubu: Logo meu irmão irá matar Azrael, que está tão fraco quanto vocês podem ver, por sua débil aparência. Ele não é capaz de usar as mãos nem o Ki... eu sou o único que pode parar Ali, e o farei se vocês duas se entregarem a mim. Agora, submetam-se ao meu poder... ou então serão mortas, assim como Azrael! Hahahaha!

*Abubu olhava fixamente para as duas, usando o poder do Olho de Medéia. Talim sacara sua arma e estava pronta para atacar a qualquer movimento ou sinal de Abubu.*

***

*Não muito longe dali, Lola e Ishizu percorriam rapidamente o palácio, confiando nos sentidos da loba para guiá-las; mesmo assim, alguém seguia as duas. Alguém capaz de se esconder até mesmo dos supersentidos de Ishizu. Um brilho amarelado igual ao de Talim percorreu seus olhos e ele continuou seguindo-as*

***

*Enquanto isso, eu estava enfrentando uma batalha mental. Minha consciência tentava me trazer à tona, mas o controle de Abubu era forte demais... mesmo para mim; só conseguia ouvir sua voz na minha cabeça, me ordenando a matar. Uma de minhas encarnações passadas fala comigo.*

??: Já chega, Ali... não consegue ver o que está bem à sua frente?
Ali: Eu não posso parar.. eu não entendo... eu DEVO parar... mas não consigo... UAAAARRRGGGHHH!!
??: Ali...!


*O fantasma de minha encarnação passada desaparece de minha vista. Tudo que eu vejo é Az. E tudo que ele vê... são meus olhos, que agora brilham com uma cor vermelha intensa. Vermelho sangue.*

Ali: Morra!

*Ataco Az, descrevendo um arco; ele mal consegue saltar para trás, e mais uma fina linha de sangue surge em seu corpo. Começo a atacá-lo freneticamente, movendo minha espada em alta velocidade, mais rápido até do que quando ele usou os ataques com as correntes antes. Az é obrigado a ficar completamente na defensiva, aparando meus golpes com seus braceletes e seus movimentos de Karatê. Para quem visse, iria parecer que no estado em que eu estava eu não controlava minhas ações; era como o estado lendário dos guerreiros vikings, a "loucura do guerreiro", em que no furor do combate o guerreiro perde completamente a noção do que está fazendo e de quem está atacando. Eu por outro lado sabia exatamente o que estava fazendo: cada golpe meu era extremamente preciso. A cada golpe, eu analisava mais e mais o padrão de defesa de Az, sua técnica de luta. De repente, Az bloqueia um golpe em direção a seu olho e eu sorrio. Ataco ele com um chute e ele contra-ataca, da mesma forma; nossos golpes nos jogam para longe um do outro, mas ainda estamos de pé. Ainda ataco na mesma velocidade, mas agora além de defender, Az está contra-atacando, usando cotoveladas e chutes; eu por outro lado, estou conseguindo desviar de seus golpes, e nas poucas vezes que um golpe encaixa, eu bloqueio com o pedaço da minha faixa que ainda está enrolado em meu corpo. Esse pedaço da faixa é muito curto para eu tentar novamente prender Az, e além disso eu o estava usando para envolver meu braço esquerdo, que havia sido ferido na luta com Harima, mas o pedaço era o suficiente para defesas a curto alcance. Eu e ele trocamos cada vez mais golpes e nossa velocidade se intensifica cada vez mais; de repente, eu ataco de cima para baixo e Az escapa do golpe, entrando na minha armadilha: quando a lâmina de minha espada quase toca no chão, eu rapidamente giro sua empunhadura e faço o mesmo golpe ao contrário, atacando de baixo para cima. Az só tem tempo de cruzar seus braceletes para aparar o golpe, mas minha lâmina lentamente o corta, forçando seus braços para cima com a ponta raspando em seu peito. O golpe é tão forte que joga Az contra uma parede, fazendo-o atravessar a rocha e quase cair da torre. Az mal consegue ficar em pé depois dessa e segura o peito, de onde muito sangue escorre agora.*

Az: Uf, arf... essa foi por pouco...
Ali: Por pouco mesmo... Mais uma vez, eu devo elogiar seu treinamento; seus músculos e ossos são tão fortes quanto aço! Caso contrário, você estaria aberto ao meio agora. Mas já chega. Eu terminei de analisar sua ténica, e você não tem mais como se defender.
Az: Do que... uf... está falando...? Você não conseguiu me...

*Salto como um raio na direção de Az; ele novamente bloqueia minha lâmina com o bracelete direito, mas novamente eu forço seu braço, fazendo outro corte em seu peito, de ombro a ombro. Aplico uma sequência alternando socos e espadadas nele, que mal consegue aparar, até que ataco apenas com meia dúzia de socos que atravessam sua defesa e o atingem nas costelas. Az consegue bloquear meu chute em suas costas com sua perna, mas atinjo um soco em seu estômago, novamente o jogando para longe. Ele rola no chão e fica de pé, ainda ofegante.*

Az(Pensando): Cof... se eu tivesse alguma coisa no estômago... teria vomitado... o que está havendo?
Ali: O que acontece é que, como eu disse, eu já analisei sua técnica e seu padrão de luta. Você tinha razão no começo de nossa luta, eu realmente sou capaz de ler meus oponentes com precisão. Mas mais do que isso, eu treinei diversos estilos de artes marciais com vários mestres diferentes, além de enfrentar muitos oponentes do nível de mestre; mesmo quando eu perdia, eu era capaz de analisar o estilo que estava enfrentando. Ou como você acha que eu sou capaz de saber que você é aluno de Hirokazu Otohime?
Az: !!!
Ali: Seu estilo lembra muito o de seu mestre, mas as diferenças que encontro em sua técnica evidenciam que treinou com outros mestres, além de também ter enfrentado muitos oponentes.

*Avanço novamente contra o surpreso Az, que consegue bloquear meus ataques. Mesmo assim, eu faço um corte em seu braço direito, um em sua têmpora(quase o cegando) e vários cortes menores em seu corpo. Az consegue se movimentar para o lado e parte para o ataque. Ele ataca com uma sequência de chutes, sem dificuldade eu bloqueio todos com a borda de minha cimitarra, mas a força de um ataque é forte para me empurrar para trás. Az está em guarda, e avança correndo contra mim.*

Az: Você fala demais... mesmo que consiga bloquear meus golpes e ler minha técnica tão bem, não é capaz de me atingir diretamente!
Ali: É mesmo? ATAQUE TRIPLO WUDAN!

*Vejo o rosto de Az mostrar surpresa, quando faço minha técnica na qual eu aparento atacar estocando com três espadas ao mesmo tempo; infelizmente para ele, duas eram apenas fintas e a terceira é que era real. Az bloqueia as fintas, mas é atingido em cheio no lado direito da barriga. Az cospe sangue, enquanto o levanto com minha espada enfiada em sua barriga.*

Az: Gh!!
Ali: O que... você ainda conseguiu contrair os músculos para impedir minha espada de atravessá-lo?! Maldito!

*Acerto um soco no rosto de Az, arrancando-o da ponta de minha cimitarra e jogando-o no chão, onde ele vomita MUITO sangue, e mais ainda escorre pela ferida aberta. Mesmo assim, surpreendentemente, ele ainda tenta ficar de pé.*

Ali: Sua técnica melhorou muito depois que parou de usar as correntes e partiu para o corpo a corpo; sem dúvida, "Kara-te"(Mãos Vazias) é o seu estilo real de combate. Mesmo assim, você não tem como me vencer. No último golpe atingi seu fígado. Agora é a vez de seu coração! ATAQUE TRIPLO WUDAN!

*Ataco Az mais uma vez com o ataque triplo; desta vez, ele consegue bloquear o ataque verdadeiro, mas a força o arremessa contra um pedaço do teto que estava no chão do topo da torre. Ainda vertendo sangue pela boca e pelas feridas, Az geme de dor*

Az(pensando): Que... droga! Só consegui bloquear desta vez porque ele avisou que ia atingir meu coração... fiquei em dúvida se era só uma bravata, mas resolvi arriscar. Ele consegue prever todos os meus movimentos e está seguro da vitória... mesmo se eu usar outro estilo de luta, o resultado não vai ser muito diferente. Se... se as coisas continuarem assim... eu realmente vou morrer... a menos... a menos que...
Ali: Pelo visto acabaram-se as suas cartas na manga. Deixe-me então acabar de vez com a sua dor! KILLER... Hã?!

*Az de repente assume uma postura estranha: as pernas abertas na largura dos ombros, joelhos levemente curvados, cabeça ereta e os braços completamente abertos, deixando o corpo desprotegido.*

Ali: Essa é a sua forma de dizer que se rende?
Az: ...
Ali: Muito bem então... morra!

*Ataco Az, desta vez realmente decidido a cortá-lo no meio, tendo como base o golpe que acertei antes. Porém, quando minha lâmina vai atingir sua cabeça, ela pára como se tivesse atingido uma muralha de aço. O impacto é tão forte que sou jogado para trás, como se tivesse recebido a cabeçada de um elefante. Az está novamente na mesma posição*



Ali: O... o que foi isso?! Eu acho vi a mão dele se mexendo mas... como...!?!

*Me levanto e tento atacar novamente, e novamente sou arremessado para trás. Caio de pé a tempo de ver Az reposicionar a mão na mesma postura de antes.*

Ali: Isso é impossível! Eu não consigo ler seus movimentos! Que tipo de técnica é essa, em nome de Allah?
Az: Não importava qual técnica eu usasse, você sabia exatamente como se defender... Duvido que tenha estudado TODAS as técnicas de artes marciais do mundo, Ali, mas acredito que as mais básicas de cada país você treinou... Shaolin e Wudan na China, Boxe e Esgrima na Europa, Kendô, Ju Jitsu e Karate no Japão... mesmo que você não conheça todos os estilos, é capaz de adaptar o estilo que conhece ou viu à sua técnica, de acordo com a semelhança entre os estilos. Mesmo assim... certos golpes não são tão fáceis. Prova disso é quando eu estava improvisando com as correntes, você não conseguiu adaptar tão bem sua técnica.
Ali: Mesmo assim, nenhuma técnica da Terra seria capaz de defender meus ataques como você acabou de fazer!
Az: Tem razão... nenhuma técnica DA TERRA...
Ali: Hã?!
Az: Esta não é uma técnica tão simples de defender, mesmo com sua habilidade de leitura, porque não é uma técnica nem um pouco simples de aprender, e nem é ensinada aqui na Terra. Eu levei muito tempo para aprendê-la, treinando com meu mestre alienígena... quando viajei pro espaço.
Ali: !!!!!!!!!!!!

*Eu não sei nem o que pensar quando ouço isso. Az sorri, contrai os músculos e em seguida os expande, da mesma forma que fez antes, estancando o sangramento. Eu finalmente caio em mim.*

Rolling Eyes

Ali: Sei... muito engraçado. Resolveu falar bobagens para me distrair e ter tempo de usar sua técnica de yoga, não é mesmo? Eu já estou cansado de você!

*Avanço contra Az, aplicando uma série de golpes, mas mal posso ver ele se mexer; não é velocidade, não é força, e muito menos é Ki. Eu não sei explicar como, as mãos dele parecem se mover lentamente, mas a defesa é tão rápida que não consigo ver. Talvez nem mesmo o meu mestre que me ensinou a técnica de leitura fosse capaz. O corpo de Az parece cercado por uma sólida e intransponível barreira invisível, e novamente sou jogado para trás com a força. Az está novamente em sua postura.*

Az: Eu não menti... Esta é a técnica da defesa total do Estilo Jurai: ZENHANSHO TOKU!(Escudo de Reflexão Total!) Entre outras coisas, eu adiciono TODA a velocidade do meu corpo às minhas mãos enquanto as vibro na mesma velocidade.
Ali: Entendo... a velocidade das mãos fica então de quatro a cinco vezes maior...
Az: Dez vezes. Não importa a força dos seus ataques, eu serei capaz de repelí-los, atingindo você com toda a força que usar contra mim.
Ali: Ugh...
Az(Pensando): Mesmo assim, é a primeira vez que estou usando esta técnica sem usar meu Ki. Resolvi arriscar porque realmente não tinha mais nada, mas não tinha certeza se iria funcionar só com os braceletes... estou surpreso que estes braceletes sejam realmente tão resistentes, o que só significa que, quem queria me prender, sabia do que eu e meus amigos somos capazes... ou fazia ideia. E fez os braceletes para que ninguém pudesse quebrá-los... mas por quê? De que adianta os braceletes serem tão resistentes, se as correntes eram tão frágeis, em comparação?
Ali: Mesmo assim, não há como me vencer com essa técnica.
Az: Humm?
Ali: Sua técnica gera uma defesa realmente poderosa, mas isso enquanto estiver concentrado na defesa, não é mesmo? Posso não ser capaz de ler, mas posso entender isso. Se por um instante você deixar de defender, e partir para o ataque, sua defesa total estará acabada, e eu sou totalmente capaz de suportar minha própria força.
Az: Me diga uma coisa, Ali... por que não me matou usando o Zan-Gan-Ken antes, quando me atacou pelas costas?
Ali: ...!
Az: He, eu sabia. Não sei como, mas assim como eu você não está podendo usar seu Ki, não é mesmo?
Ali: Como...?!
Az: Eu seria um idiota se não tivesse notado, depois de todo esse tempo. Você só era capaz de atacar quando eu te atacava, e a espada acumulava a energia cinética do meu ataque, não é mesmo?
Ali: S... seu...!
Az: Embora eu não esteja podendo usar meu Ki, o meu Ki essencial, ou seja, a parte da minha energia vital que me mantém vivo e me permite andar, falar, me mover etc. sempre flui pelo meu corpo, pelas minhas veias junto com meu sangue, como de qualquer ser vivo. Sua espada acumula esse mínimo de Ki que eu transmito a cada golpe. Quando a energia atinge o ponto suficiente, você é capaz de usar seus golpes especiais, não é mesmo?
Ali: Hehe... nada mal... mas está enganado em apenas um ponto...
Az: O quê?
Ali: Eu tenho muito Ki acumulado na minha cimitarra, através dos anos de lutas que tive. Ki suficiente para destruir uma cidade inteira. Apenas me mantive usando a energia de seus golpes para não usar toda a energia da espada.
Az: Quê?!
Ali: Além disso... eu ainda não usei toda a minha força nos meus golpes.

*Afrouxo minha faixa, ainda sentindo dor no braço, e seguro a empunhadura da cimitarra com as duas mãos*

Ali: Eu não sei até onde vai sua habilidade com essa técnica pagã... mas de uma coisa eu sei: se seus braceletes não quebrarem com meus próximos golpes, com certeza seus braços irão! E duvido que seja capaz de usar sua "Defesa Total" sem os braços. Pela força que Allah me imbui, em guarda, Az!

*Ataco Az. Suas mãos se movem com extrema velocidade, desviando o golpe e fazendo eu atingir o chão de pedra da torre, destruindo parte do chão. Vendo o perigo, Az concentra ainda mais sua defesa, suportando o impacto dos golpes com tudo que lhe resta de forças. Cada golpe que atinjo seus braceletes ressoa como uma explosão à distância, ou relâmpagos da pior das tempestades. A força do impacto também me atinge, é óbvio, e sinto meus braços e músculos vibrarem com a força de meus próprios golpes, mas desta vez eu tento me manter firme; cada vez que atinjo os braceletes de Az, sinto meu corpo inteiro tremer e meus pés afundarem na pedra... mas os pés de Az também estão, o que prova que ele também deve estar sentindo a força do impacto. Depois de muitos golpes, eu recuo; estamos os dois ofegantes. As pulseiras de Az possuem várias marcas agora, depois dos meus golpes, mas ainda estão inteiras.*

Ali: N... nada mal... eu não esperava que chegasse a esse ponto... mas irei acabar com isso no próximo ataque. Irei usar todo o Ki acumulado em minha arma: ZAN TETSU KEN - Ni No Tachi!!! (Espada Cortadora de Ferro - Segunda Talhadura)
Az: Que seja! Aposto tudo na minha técnica então... por meus amigos, pela Lety-chan, pela justiça e pelo meu mestre: ZENHANSHO TOKU!!!!

*Meu golpe atinge em cheio os braceletes de Az, que havia colocado um em cima do outro(para defender uma área maior); o impacto é como se duas bombas atômicas se chocassem uma com a outra. Todo o telhado que havia desabado é arremessado pra longe, a areia em volta do castelo se levanta como na pior das tempestades de areia. Os zumbis que estavam lá são automaticamente vaporizados, e a força do impacto chega até mesmo onde estão os demais; Kuranozuke também é atingido pela onda de choque, sendo arremessado longe nos corredores do palácio. Todos podem ver essa explosão na torre. Enquanto isso, o tempo parecia rastejar para mim e para Az; eu finalmente fui capaz de ver uma parte de sua técnica, quando seus braços apararam minha espada, e vi minha espada se cravando nos braceletes; a parte da torre onde eu e Az estávamos desaba, e nós dois caimos juntos, mas nem assim eu páro de forçar o golpe, tentando atravessar os braceletes e cortar os braços de Az, tentando, tentando... até que de repente todos ouvem um estrondo metálico maior do que meu Zan Tetsu Ken. A explosão é tão forte que nos joga longe um do outro, no meio da areia que cercava a torre. Olho para os lados, ainda zonzo: Az está deitado de costas no chão, tossindo; os dois braceletes estão com um profundo corte em diagonal no sentido do coração, mas ainda estão firmemente presos em seus braços! Eu logo me levanto, cuspindo areia e olho espantado para minha arma: eu segurava agora apenas o cabo, a lâmina da minha espada havia explodido, se transformando em milhões de cacos minúsculos como grãos de areia! Eu caio ajoelhado no chão.*

Ali: NÃÃÃÃÃÃOOOO! Não pode ser!!!

*Az começa a se levantar, ainda tossindo, mas fica em pé.*

Az: C-cof... A luta acabou, Ali... você não tem mais sua arma. E não tem mais como lutar comigo. Acabou!

*Minha faixa, que se manteve enrolada em minha cintura durante tanto tempo, se solta e cai no chão, como se fosse um pedaço de pano comum; agora era verdade, eu não era mais o Cavaleiro das Arábias. Eu olho para Az, que de repente fecha a guarda quando vê meu rosto. Em meio às lágrimas, meus olhos brilham com um brilho ainda mais intenso que antes. Muito mais.*

Ali: Acabou? Seu grande idiota... essa batalha apenas começou. Você me densonrou para sempre como Cavaleiro das Arábias. Agora isto é pessoal, Az... Eu vou matar você... e farei isso com meu verdadeiro poder. O poder do Avatar Ali!!!!

*Retiro completamente meu turbante diante de Az e esmago a jóia que ficava em seu centro; o selo em minha testa desaparece completamente. Em seu lugar, surge uma tatuagem em forma de seta, que brilha com uma luz azulada, o mesmo brilho que agora está em meus olhos. A marca do Avatar.*



Continuem...

_________________


"Mac Allah(Poderoso é Deus)... eu sou apenas Seu humilde servo."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lety Chan
Gerente
avatar

Leão Coelho
Número de Mensagens : 343
Idade : 31
Localização : Porto Alegre - RS
Emprego/lazer : Fazer nada ou ajudar os amigos
Humor : Mutante
Data de inscrição : 08/01/2008

MensagemAssunto: Re: Israel mas que agito! (continuação)   Dom Mar 06, 2011 9:59 pm

"É Deus que decide que almas juntar neste mundo, somente ele tem o poder de escrever o destino de cada um de nós... Mas, ela queria fazer diferente, pelo bem dos outros, pelo bem de seu amor."

NEXT CHAPTER: CHEGA! O FEITIÇO CONTRA O FEITICEIRO...

Lety ajudou Lana a se levantar olhando e sorrindo maliciosamente para Abubu.

- Você acha que tem o controle de tudo... Você acha que tem a força e o poder necessário para realizar tudo o que deseja, Lana entrou mais fundo na sua mente e descobriu o que eu suspeitava, você pode ser facilmente destruido Abubu... E eu posso fazer isso... Kunisaki!

Kunisaki entra na sala tranquilamente, acende seu cachimbo e sorri maliciosamente para Abubu.

- Você acertou Lety... Ele tem uma fraqueza...

Lety agora muda de forma aos poucos Nefertiti aparece em seu corpo falando em egipcio para ele.

إذا كنت تعتقد أن الملك في هذا العالم، التي تعتقد في وسعكم، شعرت دائما ان السيادة ستخفض خططك هنا

(você que se acha rei deste mundo, você que acredita em seu poder, você que sempre se sentiu soberano, teus planos serão cortados aqui...)

Ela volta a olha o cristal transmitindo a imagem de az e ali para uma tela, Lety retorna e chorando ela se aproxima face a face de Abubu.

- Se você matar as pessoas que eu amo, eu não hesitarei em fazer o mesmo com ela... - Aponta.

Kunisaki havia tirado a camisa, um tigre enorme surge nas suas costas seu olhar se torna assassino ele despe a garota que estava coberta, era Nefertis a esposa irreconhecida e o grande amor de Abubu, ela era cega, e tudo que ele desejava era...

Le: você deseja protegê-la, você deseja cuidar dela, você deseja curá-la de sua cegueira e de sua fraqueza... E POR ISSO FARÁ A TERRA UM INFERNO PARA CONSEGUIR ESTRAIR O PODER DOS HOMENS EM TUDO QUE ELES CRIARAM PRA CONSEGUIR O DIVINO? ISSO NÃO EXISTE! VOCÊ NUNCA SERÁ DEUS ABUBU... NUNCA PODERÁ SALVÁ-LA... NUNCA! POR QUE EU FAREI AGORA A SUA VIDA UM VERDADEIRO INFERNO!

kuni: *havia colocado as mãos no corpo de nefertis a jovem loira* você vai sentir prazer em ver isso Abubu? - Kunisaki mira seu olhar na direção dos olhos dele, um poder incrivel atinge abubu, era a ilusão do poder do kami de Kunisaki.

Naquela ilusão Kuni abusava do corpo da jovem ali mesmo, passava a lingua nos ferimentos causados pela espada dele. E sim, aconteceria aquilo tudo na frente de Abubu se ele não obedessece as ordens a seguir.

Le: agora vamos negociar Abubu... *sorri* Você pode dar o passo seguinte, mas não esqueça, eu sei tudo o que se passa nas mentes de qualquer pessoa nesse palacio. Qualquer pessoa... Enquanto estiver usando essa coroa será seu unico meio de me evitar... Mas, não será por muito tempo... Kunisaki...

Kuni: *corta levemente o pescoço da garota que grita de dor* Continue gemendo amor... ahuahuauhahuauhahuahuahuauhauhahau... Será prazeroso...

Le: *olhando para Az naquela tela, ela chorava nervosa e tremendo, sabia que torturar alguém era a ultima coisa que pudesse fazer, mas dessa vez era olho por olho e dente por dente*... *Pensa mandando a mensagem na mente de Az: Eu amo você!*


TO BE CONTINUED...

_________________
"Onde a mais pura criatura vive, fica no oceano, que tocando levemente a terra, ostenta formas as margens do teu olhar. Anjo concebido do amor puro, proteja a quem me visita, a quem participa, pois aqui é o nosso lugar!"

Sempre que posso estarei com vocês!

I'm not afraid of the future and you?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Mokona
Auxiliar da Gerência ^.^
avatar

Leão Cabra
Número de Mensagens : 514
Idade : 27
Localização : Pensão Hinata
Emprego/lazer : Dai Suki Tea House/Namorar
Humor : >.<
Data de inscrição : 08/01/2008

MensagemAssunto: Re: Israel mas que agito! (continuação)   Ter Mar 29, 2011 8:51 pm

*Mokona percebe que a força da Excalibur com a força de Xysuke consegue romper a faixa que prendia Larg...*

- Muito bem! Você está solta... agora... QUERO MEU CORPO DE VOLTA... Mad

*Quando Mokona percebe que Ali estava com toda a sua atenção em Az, e que não adiantaria se meter no meio daquela briga, ela começa a arrumar um jeito de sair dali de fininho... Só que não deu muito tempo de fazer muita coisa, pois em um dos golpes entre Ali e Az, eles acertam as enormes pilastras que seguravam o domo do teto, que vem abaixo... Tomando uma atitude rápida, Mokona pega Larg e Xysuke, cada um num braço e sai levitando, o mais rápido que pode, para a sala ao lado... Fugindo temporariamente também de Khan...

Ela larga os dois no chão e cai de joelhos, pois aquela manobra quase zerou suas energias... Ela ofegava ajoelhada...*

Larg estava limpando suas roupas da poeira e pensando num plano para que ela conseguisse finalmente fazer com que Xysuke e Mokona se separassem... Ela pensa, pensa, mas somente uma última cartada pode ser dada naquele momento... mesmo sendo mentira, era bem provavel que Mokona acreditasse... antes que Xysuke podesse chegar proximo a Mokona que estava se levantando com dificuldade do chão, Larg corre para Xysuke e segura em seu braço, muito intimamente.*


Larg: - Amor... Ela... ela quer me agredir... Eu não estou entendendo o que essa louca quer de mim?!(Larg achando que Xysuke ainda acredita que ela é a Mokona verdadeira) Faz alguma coisa... até porque...depois... blush ... de tudo que passamos juntos... Acho que nosso amor está selado para sempre... Ou aquele dia no teu quarto, à noite, não significou nada pra ti?? - Larg se afasta um pouco, com cara de indignada, fazendo todo um teatro... hhh

*Mokona levanta, com uma aura negra ao seu redor, ao ouvir as palavras de Larg... via-se que ela estava realmente enfurecida... *

Moka: - Larg... eu... não posso... aliás... eu não vou acreditar nisso que tu tá falando, porque se realmente for verdade, tu morre aqui... mas podemos fazer um tira-teima... Eu acreditarei em ti se tu me disser em qual das nádegas de Xysuke tem uma pinta??? confused


Larg: - pru O que???? bua

*Mokona olhou para Xysuke e mandou uma mensagem telepaticamente: - Teu amor por mim é maior que qualquer coisa, e eu sei que tu nunca iria me confundir, mesmo eu estando em outro corpo... agora falta pouco pra acabar com essa palhaçada!*


*Larg não sabia o que fazer... ficou pensando, nervosa...*

Larg: - Isso lá é pergunta que se faça Soel! Poxa... eu...
- quando ela se deu conta, já era tarde... Falando o nome da outra pessoa fez com que a magia usada ficasse fraca; a aceitação de que ela não era quem dizia ser.

*Mokona aproximou-se de Larg, pegou a mão da irmã e colocou encima de seu seio esquerdo, e fez o mesmo no dela... a energia das duas começou a ficar forte*

Moka: - A magia é invertida agora, com os poderes que são meus por direito... meu corpo, minha carne... mais uma vez meus...

As duas brilham... a energia forte que emanava delas podia ser sentida por todos no castelo. Via-se a alma das duas flutuando encima dos corpos, e trocando de lugar... Com um ultimo brilho as duas trocam de corpos, porém com eles um pouco diferentes... mas sendo as mesmas...

Mokona volta ao normal, e Larg... Bem, Larg está bem diferente do que era... esse era o castigo que Mokona impôs a ela, usando o resto de magia que tinha... Olhou para os próprios seios e fez "YES"... sim eles estavam um pouco maiores!





Moka: - Eu sou a verdadeira Mokona... por dentro e por fora... E já que você quer tanto ser EU... te dou de presente esta aparência... com as bençãos da Mestra Youko...



Larg se olhou no reflexo de uma das janelas... What a Face

Larg: - A... mestra Youko ficou sabendo?


Moka: - Ficou... obviamente...

Larg: - Droga... então já era...


_________________
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Israel mas que agito! (continuação)   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Israel mas que agito! (continuação)
Voltar ao Topo 
Página 22 de 25Ir à página : Anterior  1 ... 12 ... 21, 22, 23, 24, 25  Seguinte
 Tópicos similares
-
» PASSEIO A CINFAES 28 DE OUTUBRO AS 14:30 NA MARINA DO FREIXO

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Hinata Sou ~ Wellcome :: ~ Navegando Na Pensão ~ :: *~* Aventuras Aqui *~*-
Ir para: