Pensionato de loucos... você entra e viaja nas mais loucas aventuras criadas por nossos consciêntes! Baseado na história original de Ken Akamatsu ~ LOVE HINA XD Divirta-se!
 
HallInícioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 ~ DaiSuki Tea House ~

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5
AutorMensagem
Uchihara Sephiroth
Hóspede Vip
avatar

Aquário Cabra
Número de Mensagens : 37
Idade : 25
Localização : Templo Uchihara
Emprego/lazer : ...
Humor : Sério
Data de inscrição : 02/10/2012

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Qua Set 03, 2014 12:35 am

Enquanto Larg se sentava no sofá ao seu lado, Sephiroth pensava nas coisas que iria dizer a ela, de como iria explicar o seu " sumiço " de forma mais simples que ela pudesse entender melhor.

- Bom... primeiramente, peço perdão por ter " desaparecido " durante esse longo tempo - Ele faz aspas com o dedo. - E respondendo a sua pergunta, não... eu não consegui achar esse pessoa... e não consegui quase nada relacionado a ela, mas consegui me fortalecer mais e matei a minha " fome ", se é o que você me entende. - Ele ri sem graça - Minhas previsões foram falhas e não conseguir voltar a tempo, por isso... - Ele leva sua mão direita a uma pequena mecha de cabelo dela e a coloca atrás de sua orelha. - Não fique brava... entendo todos os motivos se quiser ficar, minha explicação ainda está meio vaga... mas com o tempo irei explicar tudo. - Sephiroth faz um pequeno cafuné sobre os fios loiros de Larg e então sorri. - Está com fome ? aprendi a cozinhar uns pratos pelo caminho.

Ele se levanta e caminha até a cozinha, segurando e puxando de leve a mão dela. Ao chegar, ele abre a geladeira e retira um pedaço de peito de frango, pega algumas verduras e legumes e rapidamente, refoga o frango com alguns temperos, enquanto esperava dourar, ele pega as verduras e faz uma salada de alface, pepino, tomate e algumas rodelas de cebola. Ao dourar o frango, ele despeja o mesmo sobre a salada, coloca um tempero agridoce com um tom laranjado e o bota na mesa.

- Pronto ! Espero que goste. - Ele puxa uma das cadeiras para que ela pudesse se sentar e fica esperando ali. Sephiroth não sabia o que fazer para se redimir a ela, aquela culpa estava pesando sobre sua alma e ele não queria deixa-la mais chateada, por isso tentava agrada-la de todas as formas possíveis. - Se sente e conte o que aconteceu por aqui... prometo não sumir novamente... - Ri sem graça enquanto sua face baixava levemente .

_________________

Só o tempo vai dizer se você merece ou não viver a esse mundo... se ele não cumprir esse papel, eu mesmo o farei.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Larg-chan
~ Instável ~
avatar

Leão Macaco
Número de Mensagens : 64
Idade : 24
Localização : Na Pensão por tempo indeterminado.
Emprego/lazer : Maid Casa de Chá/Tentar namorar Sephiroth
Humor : Negro...
Data de inscrição : 29/06/2009

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Qui Set 04, 2014 10:10 am

*Larg ouviu com atenção o que ele falava... sabia que esse tipo de homem tinha alguma dificuldade de se abrir, de contar detalhes sobre sua vida, principalmente quando tinha fundo emocional. Isso aprendera com sua mestra, e sabia que tinha que ter paciência. Ela estava muito feliz que ele estava de volta, e dane-se o que acontecera! Se ele não fosse mais embora dali, e ficasse com ela, ou quando resolvesse ir embora a levasse junto, era o que importava! Queria que ele entendesse que ele era alguém muito especial pra ela, e não queria se afastar dele de novo!

Ela aproveitou os momentos de intimidade deles, pois esses toques que Sephiroth compartilhava com ela eram mágicos. Quando se gostava de alguém, qualquer contato físico com a pessoa era um presente! Ele parecia bem, mas Larg notava que no fundo dos olhos dele havia ainda muita preocupação e tristeza, mas ela tinha a esperança que talvez um dia ela conseguisse fazê-lo feliz a ponto de apagar aquela chama...

Já na cozinha o cheirinho da comida realmente estava ótimo. Larg sentara em uma das cadeiras altas da bancada, ouvindo ele falar, enquanto cozinhava.*

Larg: - Você tem certeza que quer me comprar com comida, Sephiroth-san?



*Ela era uma ótima atriz, e por alguns segundos convenceu que realmente estava chateada, mas depois abriu um sorriso maroto, e pegou o prato para provar a comida.*

Larg: - Huummmmmm, que delicia! Se você quiser gastar um tempo aqui na Pensão, e ganhar uma graninha extra, podíamos fazer alguns jantares especiais, lá na Casa de Chá! Seria bem legal, você tem talento ^.~ - Larg ficou séria de novo, lembrando que não tinha autonomia na Casa de Chá, com aquela outra lá, que a Soel tinha deixado de responsável... Lembrou que May tinha detestado a coisinha também, e Larg e May, como colegas de trabalho, eram bastante unidas, teriam que aguentar juntas até Mokona voltar! - Bem... vamos ver... você sumiu logo que eu fiquei sabendo que tenho uma alma, e que estou ligada demais a alma que esta dentro da Mokona... Eu não lembro de nada de vidas passadas, e acho melhor até nem lembrar! Mokona, Xysuke, e mais uma pá de gente foram viajar em busca do Santo Graal... digo, em busca de alguém que arrume as armas quebradas dos cabeções... Com isso minha querida irmã ¬¬ deixou uma sósia dela cuidando da Casa de Chá! Sendo que essa criatura é a tal Arthuria, que era a mãe da alma que esta dentro de mim... Cara... parece novela Mexicana...




Larg: - Então agora temos que trabalhar sobre as ordens dessa "zinha" ai, que eu não engoli...  nhu  Mas me diga, você falou que matou sua fome?! Como foi isso? Pode me contar?

*Ficar com Seph ali na cozinha estava sendo algo maravilhoso... eles até pareciam pessoas "normais"!  yess

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Mokona / Arthuria
Auxiliar da Gerência ^.^
avatar

Leão Cabra
Número de Mensagens : 511
Idade : 25
Localização : Pensão Hinata
Emprego/lazer : Dai Suki Tea House/Namorar
Humor : >.<
Data de inscrição : 08/01/2008

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Qui Set 04, 2014 10:52 am


*Arthuria entrava na Pensão novamente, aquele lugar tinha uma energia diferente, que a fazia lembrar de Avalon. Um lugar, afastado do mundo real. Ela ouviu vozes vindo da cozinha e foi até lá verificar quem era. Queria fazer muitos amigos enquanto estava naquele corpo, pois sabia que não ia durar muito. Queria aproveitar a vida de todas as formas! (Off: ela tem que dar uma passadinha no Hinata Seijin pra isso! hoho)

Ela sentiu um cheiro muito bom de comida, e notou que aquele corpo também precisava de comida para viver, e não só de mana! Ela praticamente invadiu a cozinha com um passo de balé, leve como uma pluma, delicada e sensual.



Viu aquele homem lindo, de longos cabelos brancos, sentado na frente de Larg, que comia alguma coisa cheirosa. Imediatamente ao entrar, Arthuria sentiu a inimizade vinda de Larg, que fechou a cara.*

Arthuria: - Óh querida Larg!!! Você por aqui? - Ela chegou perto do gostosão e sorriu, se apresentando - Olá, sou Arthuria, é um prazer! E você é? - Sem deixar Larg apresentar o amigo, ela ficou estendendo a mão para cumprimentá-lo, como os ingleses o fazem, apertando as mãos.

Like a Star @ heaven  Like a Star @ heaven

May: - Bom dia pessoas sem ter o que fazer...  -  May aparece na porta da cozinha, com cara de sono. Se essa gente estava de pé essa hora da manhã, ia colocar todo mundo pra trabalhar (^^)  

Ela sente o perfume vindo do prato de Larg e pergunta:

May: - Quando foi que você aprendeu a cozinhar, Larg?

Larg: - Não fui eu, foi o Seph...

May: - Hum... muito bem... (viva) (viva)  Achei a parte que faltava do nosso menu noturno! (agente)  Sephi-qualquer coisa, você será o nosso cozinheiro noturno! Quero mais amostras! PARA O ALTO E AVANTE! - May pega todo mundo e leva pra Casa de Chá...


_________________
 


Última edição por Mokona / Arthuria em Qui Set 04, 2014 1:49 pm, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Harima Kenji
Sub-Gerente e Sub-Chefe da Guarda
avatar

Libra Dragão
Número de Mensagens : 160
Idade : 28
Emprego/lazer : Programador / Professor
Humor : O de sempre
Data de inscrição : 08/01/2008

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Qui Set 04, 2014 11:08 am

** Hikaro não viajara com seus irmãos,participou de um torneio e infelizmente, perdeu nas semi-finais (de 7 a 1, #SQN) **

Hikaro: yare, yare, acho que antes de voltar pra pensão, vou dar uma passada na casa de chá!

** Discreto como era, Hikaro entra e solta seus longos cabelos loiros (é, ele deixou crescer) para encobrir-lhe o rosto, senta-se em uma mesa e pega o menu, mas não sabia o que escolher... **

Hikaro: esse cheiro está tão boooom... bom

** ele se flagra, mokona, ou algo parecido com ela estava ali (não o Ali, ali!) conversando com o rapaz da pensão, que ainda não havia decorado o nome direito, seph... alguma coisa, mais discretamente ainda, ele vai na mesa do canto e senta meio deitado, pra não lhe verem **

Hikaro: quando eles acabarem o papo eu como alguma-coisa, não quero atrapalhar o momento... Wink
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Uchihara Sephiroth
Hóspede Vip
avatar

Aquário Cabra
Número de Mensagens : 37
Idade : 25
Localização : Templo Uchihara
Emprego/lazer : ...
Humor : Sério
Data de inscrição : 02/10/2012

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Qui Set 04, 2014 7:46 pm

Sephiroth dava passos lentos em volta da mesa enquanto ouvia Larg dizer aquelas palavras.

Larg: - Você tem certeza que quer me comprar com comida, Sephiroth-san?

Ao puxar uma cadeira e se sentar, ele pega o garfo e fica analisando-a lentamente enquanto ele a girava sobre o ar como se estivesse perdido em seus pensamentos. Ele estava feliz por ter voltado a aquele ambiente alegre e caloroso, sua jornada em busca de seus objetivos não foram muito boas, ele teve que usar suas habilidades de luta e ainda por cima, teve que tirar a vida de uma pessoa e para esquecer tudo aquilo, ele precisava daqueles momentos com a pessoa que conseguiu tocar em seu coração frio e aquece-lo.

- Imagina Larg, só cozinhei porque achei que estivesse com fo... - Ao olhar para ela, a mesma já havia devorado o prato. - Fome... Shocked - Ele riu alto e então começou a comer a comida enquanto ouvia os acontecimentos que Larg estava explicando. - Então... Mokona resolveu deixar a casa de chá aos cuidados de outra ao invés de você ? Por que será ? - Ele perguntava enquanto mastigava.

Ao terminar de comer, ele recolher os dois pratos que estavam encima da mesa e os empilha para facilitar o transporte até a pia enquanto ouvia a outra pergunta que ela o fazia.

Larg: - Então agora temos que trabalhar sobre as ordens dessa "zinha" ai, que eu não engoli...  nhu  Mas me diga, você falou que matou sua fome?! Como foi isso? Pode me contar?

Ele deixou os pretos sobre a mesa e logo foi ao lado dela, levou uma das mãos sobre os cabelos dourados e tirou uma pequena mecha que cobria a orelha direita, levou os lábios lentamente até a ponta da mesma e sussurrou baixo, como se fosse um assopro quente.

- Me alimentei de... desejos. - Ele disse enquanto levava a outra mão sobre os ombros dela. - Digamos que... a parte que eu mais gosto de me alimentar... é o... pescoço. - Ele leva os lábios até a bochecha e a beija carinhosamente. - Mais ou menos isso...

Ele pausa aquela brincadeira ao notar que havia mais pessoas se aproximando do local, logo ele volta a mesa para pegar os pratos para levar a pia. Depois de colocar a louça no local, ele nota a presença de uma outra pessoa, quase idêntica a Larg, que rapidamente entrava na cozinha cumprimentando sua " Gêmea "

- Olá. - Ele a cumprimenta com gentiliza e com um sorriso enquanto notava que outra pessoa entrava no local. Sem saber de onde vem tanta gente, ele vai até o lado de Larg e fica ali, enquanto ouvia a conversa delas.

" May: - Bom dia pessoas sem ter o que fazer...  -  May aparece na porta da cozinha, com cara de sono. Se essa gente estava de pé essa hora da manhã, ia colocar todo mundo pra trabalhar (^^)  

Ela sente o perfume vindo do prato de Larg e pergunta:

May: - Quando foi que você aprendeu a cozinhar, Larg?

Larg: - Não fui eu, foi o Seph...

May: - Hum... muito bem... (viva) (viva)  Achei a parte que faltava do nosso menu noturno! (agente)  Sephi-qualquer coisa, você será o nosso cozinheiro noturno! Quero mais amostras! PARA O ALTO E AVANTE! - May pega todo mundo e leva pra Casa de Chá... "


Sendo arrastado pela May, ele segura a mão de Larg para levava junto e rapidamente nota outra presença ali, um rapaz meio... reservado que não queria que notassem sua presença ali.

- Pode comer o que sobrou, já que virei funcionário... - Ele grita para o rapaz que estava ali.

-------------------------------------------------------------------------------

Off: Perdão por não ver que não existia cozinha ou cômodos desse tipo na pensão, juro que não errarei novamente >.<' e amei a montagem da "usurpadora" kkkk

Continuem !

_________________

Só o tempo vai dizer se você merece ou não viver a esse mundo... se ele não cumprir esse papel, eu mesmo o farei.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Harima Kenji
Sub-Gerente e Sub-Chefe da Guarda
avatar

Libra Dragão
Número de Mensagens : 160
Idade : 28
Emprego/lazer : Programador / Professor
Humor : O de sempre
Data de inscrição : 08/01/2008

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Sex Set 05, 2014 8:40 am

**

Hikaro estava encucado, a mokona não havia ido viajar? o que ela fazia ali? os anjos não estavam agindo, ele tinha certeza, porém quando estava na casa de chá realmente estranhara aquela movimentação, ainda não conhecia muito bem may, larg e seph, muito menos arthuria, e a probabilidade de conhecerem o Kenji mais tímido era pouco provável (Harima já teve seus feitos contados por aí, ele é facilmente reconhecível), mas resolveu perder a timidez, luna gostaria que fizesse novos amigos, apesar de tudo.

Levanto, dentre os 4 irmãos meu cabelo era maior até do que da Daphne, forte, loiro(praticamente branco), com jeitão de bad boy, mas com uma presença agradável, sem ser intimidador, conhecido como a 'mão esquerda do diabo', chego até o balcão principal e como não havia ninguém, apenas tomava um gole de sake enquanto o povo não vinha.

**

Hikaro: engraçado, tenho certeza que a casa de chá estava sob os cuidados da...

** A tropa chega ao local (OFF: só disse que chegaram - ação genérica - , agora como, aí não é meu critério :p ), rápidamente, percebo algo novo, aquela mokona... estava mais... **

Hikaro: ativa?.... não... hmmm... jovial? não e não...

** Escuto uma voz ao meus ouvidos **

???: Atraente?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lana Chan

avatar

Leão Coelho
Número de Mensagens : 31
Idade : 29
Localização : Hinata
Emprego/lazer : Ficar em casa
Humor : ¬¬
Data de inscrição : 23/06/2009

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Qua Set 10, 2014 11:50 pm

Off: Então como prometido, minha sensual-seduction-on. uahauhuahaua
_________________

Momento entrada de Lana...

Seus gestos sedutores, assimilados com uma música de fundo misteriosa vinda SEI-LÁ-DE-ONDE advinda da tia Kate PERÍH (hauhauah), fizeram aquela entrada um momento chamativo e sensual. Mas...


...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...

Aquele momento em que ninguém dá bola para você, e ainda você acredita que tá ABALANDO geral.

- GENTE! XEGUEY! - Solta uma risadinha tipo Ó-HOHOHOHO. - Observa Hikaro um tanto confortável, se aproxima e completa a sua frase. - Atraente? - Se aproximando dele quase enfiando os peitos na cara do mesmo. - Vim conhecer essa nova intitulada "Sili-Clone" da Moka chan... - Sorriso "maligrino". - Adoro recepcionar novos "divos e divas" com meu jeitinho.

Enquanto conversava com o seu cunhado. Ela observa a certa distância, agora se sentando ao lado de Hikaro com as pernas cruzadas e bem definidas em cima da mesa. Coloca o cotovelo apoiado e o queixo sobre a mão analisando em seu modo "Raposa-Safada" todos os detalhes dos acontecimentos ali.

- Então a Arthuria chan finalmente deu as caras?... Que delícia... - Sussurra delícia com uma malícia amendrontadora.  

Continuem...

_________________
"Melhor amar e ser amado nessa vida, do que morrer sem ter conhecido o amor!"



"Sou fiel ao meu coração."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Harima Kenji
Sub-Gerente e Sub-Chefe da Guarda
avatar

Libra Dragão
Número de Mensagens : 160
Idade : 28
Emprego/lazer : Programador / Professor
Humor : O de sempre
Data de inscrição : 08/01/2008

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Qui Set 11, 2014 5:43 pm

**Hikaro estava assustado, afinal, UAU! Lana estava mais 'atacada' do que o normal, como se tivesse comido uma codorna inteira (ao invés dos ovos) e 10kg de amendoim **

Hikaro: Lana... Se Harima te ver... ara... U__U.

** Decido ir um pouco mais pra lá, sério, tive medo de Lana me atacar a qualquer minuto e modéstia a parte, eu estava em trajes esportivos necessariamente (tem gente que gosta de homem de uniforme, vai saber hauahuahua) provocantes, pensei comigo, aquela Mokona não ta tão Mokona assim, mas ainda assim parece mais 'segura' que a Lana **

Hikaro: eto... eu vou mais pra lá... com licença.

**Me sento ao lado de Arthuria, sem saber, é claro. **

Hikaro: ufa. mais seguro agora...

Continuem!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Mokona / Arthuria
Auxiliar da Gerência ^.^
avatar

Leão Cabra
Número de Mensagens : 511
Idade : 25
Localização : Pensão Hinata
Emprego/lazer : Dai Suki Tea House/Namorar
Humor : >.<
Data de inscrição : 08/01/2008

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Qui Set 11, 2014 6:16 pm

*Arthuria estava amando todo aquele vuco vuco... faziam centenas de anos que ela não tinha uma vida tão agitada! Ela sentou em uma das cadeiras próximas da cozinha, aquele lugar era realmente promissor, principalmente para festas noturnas. Havia um rapaz ali, cuidando o que faziam, e bem na hora que ela foi se aproximar, uma mulher apareceu do nada. Cheia de curvas e de feromônios, que fizeram Arthuria se interessar. Ela estava se insinuando para quem quisesse ver, e Arthuria sentia-se compelida a aproximar-se. Enquanto ela analisava aquela gostosona, o rapaz que estava sentado junto dela, saiu de fininho, muito consternado com a sua aproximação sensual, e sentou-se perto de Arthuria. Hummmmmm, uma presa para Arthuria mostrar que as mulheres inglesas renascidas, podiam ser tão sensuais quanto as japonesas.
Ela levantou com um sorriso, olhando para o rapaz, e para a mulher, pelo canto do olho.*

Arthuria: - Olá, eu me chamo Arthuria, e você? - Enquanto ela fazia esta pergunta, ela levanta e senta na ponta da mesa, cruzando as pernas torneadas, mexendo no ombro de Hikaro com um dos dedos - Eu sou nova na cidade, não sei o que se tem pra fazer por aqui, você poderia ser meu... - ela chega bem perto do rosto dele, e dá um suspiro perfumado - guia turístico?

*Ela voltou a sua posição inicial, e ficou sorrindo em direção àquela mulher voluptuosa. Quem era ela mesmo? Puxou das lembranças que tinha dentro de si, vindas de Mokona... Ahhh, ela era a Lana... irmã da Lety...*

Arthuria: - Lana... venha sentar-se mais perto de nós, darling! Sua companhia é sempre estonteante!

Smile

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Off: Sorry Hikaro, mas não ia perder essa por nada! hehehhe

_________________
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Harima Kenji
Sub-Gerente e Sub-Chefe da Guarda
avatar

Libra Dragão
Número de Mensagens : 160
Idade : 28
Emprego/lazer : Programador / Professor
Humor : O de sempre
Data de inscrição : 08/01/2008

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Seg Set 15, 2014 5:56 pm

Arthuria: - Lana... venha sentar-se mais perto de nós, darling! Sua companhia é sempre estonteante!

Hikaro: etoooo..... medo

** Duas mulheres extremamente bonitas vindo em sua direção!? Se luna aparecesse e estivesse louca assim, corria o risco de ele acabar numa 'homenagem a tal da troá!' e era praticamente impossível não notar as curvas das duas, apesar da inglesa ter um charme especial(ou seja, as pernas! Very Happy), mas que por hora, parecia mais... segura(sério, o hikaro é mt timido ás vezes). **

Hikaro: bem, well...(tentando falar inglês, pra deixar ela mais a vontade, puxando o sotaque britânico), if you want a guided tour, i'm happy to be your guide, but now i have a little thing to do and i'll return quickly, so, excuse me.

** Vou andando para tráz, em direção a porta, afinal se eu ficasse entre essas duas, o perigo era inevitável! **

Hikaro: E Lana, acho que devia se vestir, daqui a pouco os cliente chegam e... BLAM!

**Um vento forte bate a porta principal, que se tranca.**

Hikaro: ara? as janelas...

** Cada janela foi se fechando, como se manualmente uma por uma, ate que todas se trancaram. Ok, Arthuria estava no balcão e Lana com certeza não fez isso, então o que diabos está acontecendo? olho pela janela, aparentemente os velhos anciões brincavam com o vento, vai ver isso trancou as portas e janelas, abro tudo novamente ao olhar pra cima vejo apenas uma velha entrada no teto, não estava trancada pq não havia o que roubar aqui, logo, não sinto nada de mal em nossa direção, mas olho novamente pela janela e me assusto com uma cara grudada na janela e um sorriso maroto dizendo...**

???: oooooooooooooooooooooooooooooooooi!

Hiakro: panic danou-se!

Continuem!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Helena
~ Esposa do Kunisaki ~
avatar

Touro Cobra
Número de Mensagens : 13
Idade : 40
Localização : Onde Kunisaki estiver...
Emprego/lazer : Body-gard / Gun-fu / Kunisaki
Humor : *___* - APAIXONADA!!
Data de inscrição : 17/09/2009

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Ter Dez 16, 2014 12:32 pm

OFF: (Pra quem está participando da aventura dos Hinata Warriors, vai fazer mais sentido)





Helena: - Oiiiiiiiiiii!!!!!!! Heloooouuuu Mina-sannnn!!!

*Helena faz uma entrada triunfal no salão da Casa de Chá, estava mais curvilínea, com os cabelos ainda mais longos e brilhantes. Vestia um vestido apertado, com os seios tentando fugir do decote.

Helena: - Onde estão todos??? - Olha pra todo mundo, e para em Hikaro. - Eu não lembro de você... hummm - Ela chega mais perto olhando pra ele e tentando lembrar... - Talvez marido de alguma das meninas da pensão? hohoho

May: - Ah, olá Helena-sama! - May dá um "oi" meio indiferente.

Larg: - Helena... - faz uma meneio imperceptível de cabeça...

Arthuria: - Hello! I'm Arthuria... Are you from Uk to?

Helena: - Yeah! I'm from Kent... WOW, you're not Mokona-chan for sure, but you look like her twin...

Arthuria: - Yeah... long story... I'm from Cornwall, not a big place to live, but a good one... hehe

Helena: - I like Cornwall, they have beautiful shore! So, what brings you here, and please tell me, why you're so alike Mokona-chan?

Arthuria: - What brought me here? A sword... and... blablabla (ficaram conversando em inglês um tempão)

May: - Pronto, a inglesada se achou agora!  nhu

Larg: - Oh my Got... May... Why arrrre iu too faaat!!! - Larg tentando falar inglês...

May: - Larg... I can speak in english, please, stop... ¬¬**  (chato)

Larg: - Ok... ok... - Ela olha pro Hikaro - Ei você ai, ô totalmente deslocado, vem pra cá, que aqui tem gente normal... nariz

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Harima Kenji
Sub-Gerente e Sub-Chefe da Guarda
avatar

Libra Dragão
Número de Mensagens : 160
Idade : 28
Emprego/lazer : Programador / Professor
Humor : O de sempre
Data de inscrição : 08/01/2008

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Ter Dez 16, 2014 2:15 pm

** Hikaro tava no meio das duas gostos... pessoas de beleza agradável e o medo da Luna chegar a qualquer momento era absurdo! Quando a tesud... Helena chegou e as loucas começaram a falar em Inglês, Hikaro acho q ia surtar! **

Hikaro: ...etoo...

Helena: - Onde estão todos??? - Olha pra todo mundo, e para em Hikaro. - Eu não lembro de você... hummm - Ela chega mais perto olhando pra ele e tentando lembrar... - Talvez marido de alguma das meninas da pensão? hohoho


Hikaro: claro... ** olha o decote, volta o rosto ** ... e a casa de chá ... ** olha arthuria ** e os clientes... ** olha lana **
abrir a casa de chá... ehn.......cherry

** Entao hikaro ouve uma voz. **

Larg: - Ok... ok... - Ela olha pro Hikaro - Ei você ai, ô totalmente deslocado, vem pra cá, que aqui tem gente normal...

** Hikaro sorri de orelha a orelha e no impulso (ouvindo toda a conversa estrangeira) diz **

Hikaro: Thanks Larg! You are my saviour, girl! These girls are so pretty, and I was a little dizzy with this, wow!

** Hikaro se toca, elas não sabiam que ele falava inglês **

Hikaro: Holy crap stick! eu falei demais! Crying
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Uchihara Sephiroth
Hóspede Vip
avatar

Aquário Cabra
Número de Mensagens : 37
Idade : 25
Localização : Templo Uchihara
Emprego/lazer : ...
Humor : Sério
Data de inscrição : 02/10/2012

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Ter Dez 16, 2014 7:28 pm

Off: Arrancando as teias em volta xD, POSTTTTTTTT

-------------

Ele estava ali, num canto parado, olhando as pessoas que chegavam ao local, mal ele sabia que haveria tanta gente se reunindo em um lugar só. Entediado e sem saber o que fazer, puxou uma cadeira que estava de bobeira em um canto, pegou seu pingente de asa prateada e então começou a lustra-la com a sua camisa.

Seph: - Ah... Quanta gente... - Dizia ele com uma expressão séria.

Distraído limpando seu pingente, ele ouve claramente Larg chamando Hirako para ficar por ali, logo ele se levanta, guarda o colar no bolso de sua calça e logo caminha para perto dela.

Seph : Sera que posso me juntar a vocês? - Ele ri de leve - O que temos de bom por aqui ? - Perguntou ele enquanto levava sua mão até os cabelos dela e bagunçando-os. - E aliás. seu inglês é bom... só falta um pouco de treino... - Ele diz enquanto fica ao seu lado.

Olhando todo aquele pessoal fazendo bagunça, ele meio que ri de lado, gostando do ambiente animado, então logo olha para Hirako com uma expressão séria.

Seph : - Tem duas mulheres encima de você e você foge... Você não é o que eu to pensando... não é ? - a5

Sem ter o que fazer, ele olha para Larg novamente e então vai lentamente até a orelha esquerda dela e sussurra :

Seph : - Por que está tão séria ? Larg... - O " Larg " sai quase que um assopro. - Saiba que hoje, você está especialmente linda... - Diz enquanto leva a mão esquerda pelas suas costas, indo para a cintura e puxando-o para perto. - Assim é melhor...


Off: Momento cantada Sephiroth xD

_________________

Só o tempo vai dizer se você merece ou não viver a esse mundo... se ele não cumprir esse papel, eu mesmo o farei.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Larg-chan
~ Instável ~
avatar

Leão Macaco
Número de Mensagens : 64
Idade : 24
Localização : Na Pensão por tempo indeterminado.
Emprego/lazer : Maid Casa de Chá/Tentar namorar Sephiroth
Humor : Negro...
Data de inscrição : 29/06/2009

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Qua Dez 17, 2014 9:30 am

*Larg chamou Hikaro pro lado dela, e percebeu que não tinha muito o que falar com ele... Razz Mas de qualquer forma, era melhor do que deixá-lo desconcertado no meio daquelas duas loiras loucas ... (como se ela mesma não fosse uma loira)

Ela ainda não tinha se acostumado com aquela forma do Zeph lidar com ela, de tocá-la de forma tão íntima. Ela amava aquilo, e mesmo ficando vermelha, não reclamava. *

Seph : - Por que está tão séria ? Larg... - O " Larg " sai quase que um assopro. - Saiba que hoje, você está especialmente linda... - Diz enquanto leva a mão esquerda pelas suas costas, indo para a cintura e puxando-o para perto. - Assim é melhor...

Larg: - Shocked Embarassed Wink I love you afro Like a Star @ heaven  - ela controlou-se para não atacá-lo na frente de todos. Como alguém podia faze-la sentir-se daquela forma? Tentando manter a naturalidade, com aquela proximidade de Zeph, ela fala:

Larg: - Eu estou de cara com algumas coisas que estão acontecendo aqui na Casa de Chá, mas logo passa... E que bom que você notou que estou linda... (^^)  (orgulhoso)  - falando isso, ela sorri de canto - E Zeph, o Hikaro não é o que você está pensando não... Ele tem é medo da mulher dele, e sua super força. Até porque aqui tem muitas "ferramentas" pra ela usar, pois pelo que eu me lembro ela curte uma frigideira, panela, pra atacar os "inimigos"...  

*Larg termina o que estava fazendo e fala para todos:*

Larg: - Gente, vamos comer! Lanchinho na madrugada é sempre ótimo!

*Ela e May colocam os pratos em uma mesa redonda gigante que tinha bem no meio do salão, e lá todo mundo se senta para comer.*

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
May Uchiniwa
Auxiliar da Cozinha ^.^
avatar

Virgem Cavalo
Número de Mensagens : 21
Idade : 26
Localização : Pensão Hinata
Emprego/lazer : Cozinhar...
Humor : ^.^
Data de inscrição : 19/06/2009

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Qui Dez 25, 2014 10:43 pm

*May estava zonza com toda aquela gente na Casa de Chá. Se ainda só conversassem, mas gritavam, riam às gargalhadas, aff  nhu . Ela procurou na dispensa por algum chá calmante, e encontrou um pote de metal, sem nada escrito em volta, no meio dos outros potes de chá. Ela abriu e cheirou. Hummm parecia delicioso. Tudo na casa de chá agora estava afetado pelo encantamento que Arthuria fizera no meio do salão principal, nada mais parecia ser o que era. May fez o chá e tomou com prazer, enquanto terminava de cortar alguns ingredientes para as tortas do outro dia. O aroma do chá viajou de narina em narina, como um fantasma, invadindo a mente de todos os presentes... May estava fazendo uma calda de frutas vermelhas... moranguinhos... framboesas... amoras... Seus dedos e a faca estavam todos sujos. Adorava aquela calda, mas suas mãos ficavam manchadas de vermelho...




May apoiou-se na mesa, sentindo-se um pouco tonta. As risadas de Arthuria entravam como facas na sua mente. Ela achou que ia desmaiar, mas por alguns segundos, as coisas voltaram ao normal... Ela olhou para o grande salão da Casa de Chá e não conseguiu ver ninguém, pois tinha um tipo de névoa.

Sentiu alguém passando por ela correndo, e olhou para ver quem era... e viu...





*Parecia Hikaro, com poderes de velocista, aparecendo hora perto dela, hora na porta de saída, hora no lugar mais afastado da cozinha...*

Hikaro: - Estou suuuper megaaa adiantadoooo.... Não gosto de ficar esperando!!  

May: - Mas o que está acontecendo? - Ela olha para as próprias mãos e vê a faca e seus dedos vermelhos... seria sangue??????!

Ela sai da cozinha em direção ao grande salão, na tentativa de encontrar alguém, porém ela encontra somente um espelho, em que pode ver o próprio reflexo...





May: - O que é isso? Tem alguém aí??? Alguém pode me ajudar? - May sentia-se flutuar... seu corpo estava todo mole. Ela sente uma linga quente em seu pescoço. Se arrepia toda e vira o mais  rápido que consegue e vê primeiro um sorriso na névoa, depois um par de peitos, e logo em seguida o resto da pessoa aparece.





Lana: - Ahhhh!!! Que gosto bom você tem... frutas vermelhas...

May: - Alguém... você... pode me ajudar?

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lana Chan

avatar

Leão Coelho
Número de Mensagens : 31
Idade : 29
Localização : Hinata
Emprego/lazer : Ficar em casa
Humor : ¬¬
Data de inscrição : 23/06/2009

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Sex Dez 26, 2014 9:39 pm

Off: Retrocedendo antes do momento Alice.
___________________________________________

Lana vê a atitude de Arturia e se aproxima dela, as duas conversaram, sobre lingeri, sexo, drogas e rock i'n "rolla". Logo após de quase rolar um clima caliente entre os olhares, Helena chega para quase uma suruba "conversal em ingrêis".
Depois, de um papo cabeça, rola aquele momento em que você acha que está bêbado e na verdade tu vai se lembrar de tudo depois, e vai esconder a sete chaves da verdade.

Tea Alice...



Realmente, tudo não parecia fazer sentido, Lana literalmente caiu de quatro e em "pé"??? Tipo, algo está errado, ela percebe a situação, de repente sua mente entra em um frenesi e ela rola de um lado e de outro enquanto caixinhas de saquê??? Não era leite carai... Cai por cima dela como em um clip de Rapper se sentindo foda enquanto o dinheiro cai em cima do corpo. Sua mente não era mais a mesma.




Laneko esta degustando seu saboroso "milk in box" Miruko (em japa), quando percebe a chegada de uma novata.

- O que vejo ali nyahhnn hunn? - Sua voz era carregada de sensualidade como de um tele-sexo. - Prrrrecisa de ajuda menina perrrrdida nyuhhh? - Seu sorriso era exagerado.

Ela se aproxima da garota e vai encarando-a de perto, ficando vermelha, logo a puxa do nada e começa a se esfregar nela, roçando a cara da mesma em seus ubres peitos enormes. Ela dá uma boa cafungada no pescoço da garota.

- Prrrrronto, grrrrravei seu fedor... ^_^ Agorrra me diga nyunnnn hmmm... Para que lado em sua mente, você acha que deve seguirrrrr?... Os caminhos estão entrrrrrelaçados, você ainda pensa em fugirrrrr? - Ela falava coisas sem sentidos, mas, no fundo havia algo de puro e familiar. - O que ama... Seguirrrrá para semprrre longe de você... nyuuun nyuuun - Ronronava enquanto desaparecia e reaparecia em sua frente, no meio de suas pernas, e depois agarrando os peitos da jovem "Alice".

To be continued...

_________________
"Melhor amar e ser amado nessa vida, do que morrer sem ter conhecido o amor!"



"Sou fiel ao meu coração."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Uchihara Sephiroth
Hóspede Vip
avatar

Aquário Cabra
Número de Mensagens : 37
Idade : 25
Localização : Templo Uchihara
Emprego/lazer : ...
Humor : Sério
Data de inscrição : 02/10/2012

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Sex Dez 26, 2014 10:52 pm

Seph olhava para um canto e para o outro, observava as loucuras que estava acontecendo em sua volta, como se todos estivessem desastrados. Sem saber o que estava acontecendo, ele olha para Larg enquanto ela explicava a situação de Hirako.

" Larg: - Eu estou de cara com algumas coisas que estão acontecendo aqui na Casa de Chá, mas logo passa... E que bom que você notou que estou linda... (^^)  (orgulhoso)  - falando isso, ela sorri de canto - E Zeph, o Hikaro não é o que você está pensando não... Ele tem é medo da mulher dele, e sua super força. Até porque aqui tem muitas "ferramentas" pra ela usar, pois pelo que eu me lembro ela curte uma frigideira, panela, pra atacar os "inimigos"...

Com um sorriso malicioso em seus lábios, ele leva a sua face próximo ao dela, deixando a boca quase encostar no dela e então ele para, leva a mão direita até a sua face e sussurra:

Seph: - Entendi... Mas... Mais importante que isso... - ele morde o lábio inferior dela, provocando-a enquanto fazia sua hálito quente invadir a mente dela. - E nós? como ficamos ?... - Seu olhar era penetrante, como se ele estivesse convidando para ir ao paraíso e o inferno.

Nesse tempo, Seph sente um aroma estranho, fazendo-o para com as suas provocações, ele sentia um aroma levemente doce que o fazia ficar sonolento até o ponto de se soltar de Larg e cair encima dela.


-------------------------------------------------------
Momento " Seph in Wonderland with your friends "
-------------------------------------------------------

Seph acordava lentamente, sua cabeça estava atordoado e bem confuso, não fazia a miníma ideia de onde estava, ele estava debruçado em alguma mesa enquanto aos pouco ele se levantava e recobrava sua visão.

Seph: - Nossa... o que foi is...- Ele interrompe a sua fala logo após ao se ver ser no espelho que havia em sua frente.


Seu cabelo estava mais curto, sua roupa estava diferente e em seu ombro, havia um gavião que ele não fazia a menor ideia de onde ele veio.

Seph: - Mas olha só... parece que eu sou outra pessoa... - Ele vira o olhar para a porta do local e lá ele ve uma plaquinha escrito no mesmo " Rei Branco " . - Rei branco? Hm... interessante...

Continuem!
Obs: Rita ! Se eu estiver entendido errado, me manda um Whatsapp que eu edito e refaço ! Bjo !

_________________

Só o tempo vai dizer se você merece ou não viver a esse mundo... se ele não cumprir esse papel, eu mesmo o farei.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Larg-chan
~ Instável ~
avatar

Leão Macaco
Número de Mensagens : 64
Idade : 24
Localização : Na Pensão por tempo indeterminado.
Emprego/lazer : Maid Casa de Chá/Tentar namorar Sephiroth
Humor : Negro...
Data de inscrição : 29/06/2009

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Sab Jan 03, 2015 12:31 am




Larg: - Ah... você está aqui, pequenina... Venha... te mostrarei o caminho para a Rainha Vermelha, juntas conseguiremos faze-la desaparecer como num passe de mágica!

*Larg sentia-se bêbada... como há muito não ficava...

Ela sentia que algo não estava normal, mas em sua mente, naquele momento sabia que tinha que fazer a Rainha Vermelha desaparecer dali! Viu a pequena May, totalmente perdida, sem saber para onde ir, e iria ajudá-la...

Venha minha querida... Venha... *

Porém May não conseguia creditar naquela enorme mulher de branco em sua frente. Acreditava mais no cupcake, com cobertura de morangos que tinha em sua frente... uma plaquinha dizia: Coma-me inteirinho...

E May comeu inteirinho, de uma mordida só. Ficou meio embuchada, e com soluço, e a cada soluço ela ia crescendo e crescendo, até que ficou do tamanho da mulher de branco...

May: - Bem, agora que estamos cara a cara posso conversar com você... onde está aquela nojenta da Rainha Vermelha?

A sala toda mudou e todos estavam em uma enorme floresta, e ouviam-se gritos, por todos os lados...

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Mokona / Arthuria
Auxiliar da Gerência ^.^
avatar

Leão Cabra
Número de Mensagens : 511
Idade : 25
Localização : Pensão Hinata
Emprego/lazer : Dai Suki Tea House/Namorar
Humor : >.<
Data de inscrição : 08/01/2008

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Sab Jan 03, 2015 12:51 am



*Os gritos eram de pequenos cupcakes com pernas, que corriam pelo chão da floresta feita de árvores de confeitos.

A Rainha Vermelha ria alto, pisando em todos aqueles cupcakes que corriam desesperados...*

Arthuria: - Corram seres inferiores, corram por suas vidas miseráveis! Hó hohohoh!!! Eu sou melhor e maior que vocês... - Ela olha para May, com ar de superioridade... - EU MANDO AQUI... EU SOU A RAINHA VERMELHA, E VOCÊS SÃO SOMENTE MEUS SERVOS! AJOELHEM-SE PERANTE SUA RAINHA!! KKKKK

*May ficou muito brava, e percebendo que comendo um cupcake ela crescia, comeu vários, para ficar mais alta que a Rainha Vermelha... Ick Ick e foi crescendo e crescendo... cresceu tanto que passou das altura das árvores da floresta e não conseguia mais se mexer...*

May: - Socorooo... socorroo! Estou presa aqui em cima! - e começou a chorar... e chorar muito... as lágrimas desciam como uma chuva forte...

_________________
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ali Al-Said Samir

avatar

Capricórnio Porco
Número de Mensagens : 38
Idade : 33
Data de inscrição : 14/08/2009

MensagemAssunto: Vento Uivante   Qui Fev 12, 2015 4:11 am

OFF: E finalmente, a estreia aqui na Pensão de um dos meus personagens mais antigos e queridos! Desculpem a demora e o tamanho do post, mas é que tive uns problemas aqui... e também estou terminando o post do Ali. Até lá, divirtam-se com meu personagem mais selvagem!

ON:


No ar causticante,

Carregado de Ódio,

Paira uma pergunta:

Quando a Fúria tomará você?





*Eu andava por aquelas ruas lotadas de gente, com aquelas palavras reverberando na minha cabeça; se eu tivesse para quem responder, eu diria "a Fúria já me tomou... diversas vezes. Hoje eu luto para evitar ser tomado por ela novamente." De fato, a Fúria me dominou desde o começo... desde a primeira vez em que me transformei. Sim, pois diferente do Rebanho humano que me cercava, eu não era um ser humano. Eu era literalmente um lobo em pele de cordeiro... um membro do povo lupino, os Garou; conhecido pelos seres humanos por nosso apelido informal, lobisomem. Sim, eu era um homem-lobo, considerado um monstro, uma aberração para os padrões humanos... que sequer faziam ideia que meu papel era justamente protegê-los. Protegê-los de verdadeiros monstros. Sim, eu era um Garou, um lobisomem, mas não como nas lendas. Eu não caçava seres humanos para me alimentar (afinal, a carne humana tem um gosto horrível mesmo...). Eu não me transformava apenas em noites de Lua Cheia. Eu não me transformava apenas em lobo e humano, mas em várias formas intermediárias. Eu não havia sido transformado por uma mordida de outro lobisomem, eu havia nascido lobisomem, embora só tenha realmente me transformado pela primeira vez na adolescência. E Gaia me agraciou com muitos Dons e habilidades para tornar minha tarefa um pouco menos árdua. Olho em volta, desorientado; mesmo para um Andarilho do Asfalto como eu, era difícil andar naquelas ruas do Japão sem nunca ter estado ali antes. Tento pedir informações para algumas pessoas.*

?????: Com licença senhor... desculpe, senhora... por favor, amigo...

*A maioria simplesmente me ignora, e alguns me olham com a cara feia. Estou acostumado; embora os humanos não possam saber quem eu sou, o pouco do instinto natural que ainda lhes resta é o bastante para tornar a minha simples presença, mesmo em forma humana, desagradável a eles, pois algo dizia a eles que eu era perigoso, como um p´redador no meio de ovelhas... e isto era ainda pior no Japão, xenófobos do jeito que os japas são... na verdade, em toda a minha vida, a única vez que me senti "bem vindo" foi na minha matilha. Muitos anos atrás, logo após minha Primeira Transformação, fui aceito em uma matilha de outros lobisomens. Eu cresci com eles, cacei, lutei e matei ao lado deles, comi e dividi minha comida com eles; aprendi a ser um adulto e um verdadeiro Garou ao lado deles; aprendi sobre nosso povo, sobre minha Tribo, sobre meu Augúrio e sobre nossos ancestrais, principalmente meu bisavô, uma legítima lenda para nosso povo; lutei por nosso planeta, sangrei e chorei ao lado daminha matilha, e teria morrido feliz ao lado deles... se eu não tivesse a obrigação de caçar o Maldito responsável por suas mortes. Alguns anos atrás, minha matilha foi emboscada e massacrada, sendo que eu fui o único sobrevivente; fui acusado de ser o responsável por suas mortes e, sem ter como provar minha inocência, fui condenado a ficar para sempre na Umbra, o mundo dos Espíritos, preso no Lago de Prata, sendo devorado constantemente pela prata viva... mas diferente dos outros presos ali, eu era inocente, e apenas por causa disso consegui escapar; não completamente ileso, meu corpo e meu rosto eram cobertos de cicatrizes causadas pela prata, cicatrizes estas que eu não pude curar nem com meus poderes, mas eu havia conquistado muito mais do que perdido. Eu agora estava de volta à Terra, e devia caçar o verdadeiro responsável pelo massacre da minha família. Como um Ronin, um lobo solitário,um lobisomem sem matilha, eu vagava pela carne de Gaia em uma busca de algo que provavelmente me levaria à morte... mas eu não me importava com aquilo.*



?????: "Ronin". Hehe.

*Um sorriso surgiu no meu rosto quando sussurei a palavra. Era irônico que eu estivesse no país da onde tinha vindo aquela palavra e aquele conceito, embora o Samurai Ronin fosse ligeiramente diferente do Garou Ronin. Páro estático e quase não consigo segurar a lâmina que veio em direção ao meu pescoço. Antes mesmo que meus dedos pudessem tocar na pequena shaken, eu senti o cheiro de busu (veneno de acônito), nitrato de prata, álcool e cola que estava nela, além de um leve odor de outra coisa; disparada em direção à minha carótida, o atirador sabia com precisão onde me matar... mas também sabia que eu iria conseguir segurar a lâmina. Aquilo não era uma arma, era uma mensagem. Olhei na direção do beco de onde me dispararam, ajeitei minha mochila e caminhei tranquilamente até lá, como se nada tivesse acontecido. Na verdade, ninguém no Rebanho realmente notara aquilo, de tão rápido que foi. Ao entrar no beco, entendi perfeitamente a roubada em que estava entrando; uma confusão de cheiros invadiu minhas narinas hiper-sensíveis, revelando o odor de lixo, perfume barato, comida, sexo, doenças, ratos, baratas, pólvora, concreto, aço, sangue e muitos outros odores típicos de um bairro barra-pesada, além de um que eu só poderia sentir no Oriente; ali finalmente eu me senti um pouco confortável, principalmente porque o cheiro de humanos havia diminuído muito. Não que não houvesse gente naquele lugar, na verdade havia até gente demais para uma viela mal-iluminada e fedida, mas aquilo era comum no Japão. Em meu terno branco, sem gravata e com as muitas cicatrizes no meu rosto, eu quase podia ser confundido com um dos muitos Yakuzas que eu via andar ali em alguns bares e casas de jogos, se não fosse o fato de eu não ser oriental e se não fosse meu cheiro também. *



*Passei em frente a um bar onde tinha uma vermelha pendurada, e uma garota que, exceto pelo vestido apertado e decotado, contrastava com o ambiente devido à sua beleza exótica, com seus cabelos ruivos (aparentemente tigidos) e olhos puxados... e seu cheiro também. Ela falou comigo em japonês.*

Garota: Boa noite, gaijin-sama. Não gostaria de entrar em nosso bar e me fazer companhia?

*Olho a garota de cima a baixo. Realmente atraente aos olhos. Respondo a ela também em Nihongo*

?????: Certo, beleza. Mas só porque gostei do seu perfume.
Garota: Que coincidência, gaijin-sama. Eu também adorei o seu.

*A garota me dá o braço e entramos no bar, como se fôssemos um casal normal. O Ambiente interno também me surpreendeu, era bem mais luxuoso do que a fachada; estava na cara que aquele era um bar exclusivo para "clientes preferenciais". Apenas duas mesas estavam ocupadas, eu e a garota nos sentamos na mesa mais distante da porta e logo uma garçonete veio nos atender; peço a ela uma bebida para a garota e um milk-shake de chocolate para mim. A garota dá risada.*

Garota: Ora, ora, gaijin-sama, pedindo uma bebida de criança?
?????: Hehe, isto é modo de falar comigo, beleza? Seja como for, eu não gosto de bebida alcóolica. Prefiro doces.
Garota: Gomen, gaijin-sama. Na verdade, eu também não gosto muito, mas a maioria dos meus clientes insiste que eu beba com eles.
?????: Tudo bem então, garçonete, mude o pedido e traga dois milk-shakes.

*A garçonete anota, faz uma reverência e sai dali. A garota acende um cigarro e sopra a fumaça para longe, de modo a não vir na minha direção.*

Garota: Estou vendo que não é a primeira vez que vem ao Japão, gaijin-sama. Veio a negócios ou prazer? Ou quem sabe os dois?
?????: Vim visitar um amigo... e quem sabe matar alguém.
Garota: Ora, não me diga... você parece ser realmente bem perigoso, gaijin-sama.

*Agarro o braço da garota para surpresa dela, mostro a shuriken e a finco na mesa.*

?????: Chega de conversa fiada. Quero saber por que você jogou isso em mim.

*Antes que a garota possa responder, os outros quatro clientes e o barman saltam em cima das mesas e do balcão, sacam suas armas e atiram contra a gente. Jogo a garota para longe do raio de ação das balas e chuto a mesa para cima para me defender, enquanto me abaixo. Eles páram de atirar e correm na minha direção para poderem mirar, mas para surpresa deles encontram apenas minhas camisa e jaqueta e minha mochila no chão. Eles olham desesperados em volta, me procurando, mas eu apareço de repente atrás de dois deles e os nocauteio com um golpe no pescoço. Os outros tentam mirar em mim, mas eu me movo muito mais rápido que as balas e fico entre eles, fazendo com que um atire no outro.*



*Quando os dois caem, o barman saca uma katana de trás do balcão, mas antes que possa pensar em me atacar, eu o agarro pelo pescoço e o levanto no ar; fico olhando ele nos olhos, e mesmo em minha forma humana eu consigo ver o terror nos olhos dele que, desesperado, balança a espada de um lado pro outro até que eu deixo que ele a crave nas minhas costelas. Sem me abalar com aquela dor insignificante, resisto à tentação de quebrar o pescoço do barman, cravo os dedos da minha mão no balcão de mármore e o coloco no chão, ainda encarando-o de perto.*

????? (falando calmamente): Cadê o meu shake?
Barman (MUITO assustado): S-sim... s-s-sim senhor...

*Tremendo de medo, o Barman prepara meu shake, enquanto eu retiro a espada do meu corpo e a jogo de modo a cravá-la na parede a exatamente um centímetro do rosto da garota, que estava ameaçando fugir.*

?????: Esta é a terceira vez que poupo sua vida hoje. Vai querer arriscar a quarta ou vai me responder alguma coisa?
??: Não faça mal a ela, gaijin. Ela só seguiu as minhas ordens.

*Olho na direção dos fundos onde havia uma porta e de onde sai uma velha bem enrugada, apoiada em uma bengala, falando com um forte sotaque chinês. Enquanto meus ferimentos se fecham, eu pego meu shake que o barman finalmente servira, cheiro bem e, depois de pronunciar algumas palavras, começo a tomá-lo. A velha se aproxima de mim.*

Velha: Sempre invejei a capacidade regenerativa que Gaia deu a vocês Garou... Mas me diga, jovem, não tem medo de que possa ter algum veneno capaz de matar mesmo você nesse copo?
?????: Nem um pouco. Aprendi uma coisinha ou duas com meus "amigos" Garras Vermelhas. Agora me diga você, por que eu fui atacado desde que cheguei aqui?
Velha: Hunf! Realmente, vocês gaijin não têm respeito algum... você invade nosso território, não se apresenta e ainda por cima fere meus homens, além de ameaçar a minha neta?! Me diga, o que me impede de chamar a seita do bairro inteiro para massacrá-lo?
????? (bebendo um pouco do shake): Em primeiro lugar, o fato de que se fizer isso, vai perder gente demais para matar um único homem por motivo algum. Em segundo lugar, o fato de eu não ter matado ninguém aqui, mesmo tendo a chance e até o direito de autodefesa (esses dois atiraram um no outro, não foi culpa minha). Em terceiro lugar, o fato de eu ter salvado a vida da sua neta dos tiros que os seus guarda-costas idiotas disparam contra ela, quando atiraram na minha direção.

*A velha me olha séria, mas em seguida começa a gargalhar. Termino de tomar meu shake e apanho minha camisa do chão.*

Velha: Hahaha, você é divertido. E é verdade que salvou a minha neta (e felizmente estes dois idiotas atiraram um no outro, me poupando o trabalho de ter que castigá-los depois). Mesmo assim, ainda é inegável a sua má conduta. Como líder desta Seita, exijo seu Uivo de apresentação e seu Ritual de Contrição, se você souber é claro.
?????: Tsc... preciso mesmo uivar em público? Não serve um e-mail?
Velha: Agora.

*Suspiro, mas obedeço. Mesmo com tudo aquilo, queria evitar confusão e desrespeitar a Lei. Felizmente haviam poucas pessoas ali, então não ia passar muita vergonha. Começo com o Ritual de Contrição: me dobro sobre a barriga, até minha cabeça tocar no chão e começo a uivar de forma aguda, parecendo um ganido. A velha se aproxima de mim e me acerta um cascudo com a bengala*

Velha: Apesar de tudo aceito suas desculpas, gaijin Garou. Estou de bom humor hoje e, como disse, você me diverte.

*Fico puto da cara com o cascudo mas mantenho a calma. Em seguida, me levanto e faço meu uivo de Apresentação, alto o bastante para que o bairro inteiro escute. Qualquer pessoa normal iria achar que era um cachorro uivando pra Lua ( embora ainda fosse dia), mas aquele longo uivo dizia muita coisa sobre mim, que apenas os falantes da língua dos lobos poderiam entender: meu nome, minha linhagem, meu totem, minha tribo, minha seita natal e termino mais uma vez cravando meus dedos novamente no mármore, assinando meu nome com glifos. A velha parece satisfeita, mas me acerta mais uma vez a cabeça com a bengala. Ô velha rápida!*

Velha: Nada mal para uma apresentação fajuta. Agora, poderia dizer, só para mim, seu Uivo de Apresentação verdadeiro?

*Me espanto que ela tenha percebido que meu uivo foi falso. Até hoje eu havia conseguido enganar anciãos até mesmo dos Nuwisha. Isso só confirmava minhas suspeitas sobre a velha. Pigarreio e, pela primeira vez em anos, solto meu Uivo de Apresentação verdadeiro, mas tomo cuidado desta vez para que o uivo só fosse ouvido naquele bar. O barman e os outros funcionários do bar ouvem apenas um uivo baixo, mas a garota e a velha ouvem e entendem perfeitamente a linguagem e o dialeto Garou que eu uso, áspero pelos anos de desuso, mas extremamente refinado apesar disso*

?????: Meu nome é Tobias Vento Uivante, Hominídeo, Philodox, Andarilho do Asfalto Ronin, atualmente sem Posto, Totem, Matilha ou Seita, da linhagem de Raphael Força de Gaia.

*Cravo novamente meus dedos no mármore, assinando meu nome Garou verdadeiro, mas logo o apago destruindo o mármore. Eu esperava outra cacetada da velha, mas desta vez ela se apresenta.*

Velha: Sou Ng Huan Choy, mestra da Seita Tsuki-no-Kamui. É uma honra para mim conhecer um descendente de meu amigo, ainda que esteja em desgraça, Vento Uivante-yuf.
Vento Uivante: A honra é minha, Ng-sa...

*A velha me acerta de novo na cabeça.*

Ng Huan: E quem vai pagar pela destruição do meu bar heim?!
Vento Uivante: Ô droga! Me dá o número da sua conta que depois eu deposito o valor do balcão que quebrei, velha! Mas cobre dos seus seguranças o resto!

*Apanho minha jaqueta e minha mochila do chão; meus ferimentos já estão curados quando visto a camisa, mas minhas cicatrizes são bem visíveis, assim como a tatuagem de uma espada que eu tinha nas costas, que foi coberta quando coloquei a camisa. Discutimos e conversamos por mais de uma hora. Explico a ela que tinha vindo ao Japão seguindo uma pista de meu antigo inimigo, e que resolvera aproveitar para visitar um velho amigo que morava no Japão e estudava na Universidade de Tóquio, mas eu me perdera procurando o bairro emque ele morava. Eu evitava usar GPS para não ser rastreado por certos perseguidores e por isso não vi que tinha entrado no território dela e de seu povo.*

Vento Uivante: Tóquio e grande parte do Japão é território da minha Tribo e, apesar de eu ser caçado por ela, sei que não se importariam se eu entrasse no território, desde que eu me apresentasse com meu nome falso. Só não esperava me distanciar tanto do nosso território e vir parar aqui.
Ng Huan: Hohoho, entendo, então foi por isso que não tentou disfarçar seu cheiro? Um pouco imprudente pra quem é caçado, não?
Vento Uivante: Nem tanto. Já que o Rebanho não quis me ajudar, deixar que sentissem meu cheiro era a melhor forma de encontrar alguém mais cooperativo do que os humanos.
Ng Huan: É, mesmo assim, um tanto imprudente. Mas os espíritos contam sobre algumas de suas proezas, Vento Uivante-yuf. Mesmo em desgraça, você é visto como um herói entre os do seu povo, tanto que não o expulsaram de sua Tribo nem chamam de -ikthya, um traidor, e agora eu vejo porque. Seja como for, basta seguir minhas indicações, pegar o bonde e chegará ao bairro onde mora seu amigo, e não se preocupe quanto aos danos aqui, vou botar a culpa nesses dois idiotas que se mataram (mas quero que pague o balcão ainda assim). Xian, acompanhe-o até a saída.
Vento Uivante: Obrigado, Ng Huan-san...

*Recebo outra bengalada na cabeça*

Vento Uivante: POR QUE ISSO AGORA?!
Ng Huan: Por você se arriscar tanto e para não perder o costume. Sabe muito bem que dificilmente você sairia vivo deste bairro em qualquer outra situação, não é? Apenas por você só estar de passagem e graças ao seu uivo, você poderá andar tranquilamente aqui, não deixarei que ninguém te atrapalhe. Só não se esqueça do depósito heim?

*Resmungando, caminho até a porta acompanhado de Xian, a neta da velha, que me recebeu no começo.*

Xian: Realmente, sinto muito por toda a confusão, Tobias-san. E por não termos terminado nosso encontro. Mas, se você quiser...
Vento Uivante: Obrigando, Xian-chan, mas apesar de você ser muito bonita eu não me sinto atraído por kitsunes. Desde que senti seu cheiro eu já sabia que o encontro não ia dar em nada.
Xian (sorrindo maliciosamente): Quem sabe eu não possa fazê-lo mudar de ideia...?
Vento Uivante (sorrindo igual): Quem sabe... um outro dia talvez. Não corro o risco de pegar doença venérea mesmo.

*Me afasto do bar, figindo não notar a cauda de raposa de Xian balançando de alegria, contrasteando com os palavrões que ela soltava por causa da minha última frase. Sua avó se aproximou dela*

Ng Huan: Uff... graças a Gaia ele foi embora sem maiores problemas. E se Gaia permitir, não vai mesmo acontecer mais nada enquanto ele estiver aqui.
Xian: Como assim, vovó? Eu achei ele interessante, mas depois do que ele me disse, minha vontade era de arrancar as bolas dele!

*Ng acerta uma cacetada na cabeça da neta da mesma forma que havia feito comigo*

Ng Huan: Não seja estúpida! Um Garou sozinho em geral não é uma ameaça grande pra um grupo como o nosso, mas aquele é diferente... Ele segurou sua shuriken sem dificuldade e acabou com nossos homens sem precisar sair da forma humana! E sem nem sequer usar suas armas! Se ele quisesse, poderia transformar este bairro... não, esta cidade inteira num rio de sangue!
Xian: Armas? Só vi uma pistola...
Ng Huan: Aquela pistola é um Fetiche ou Talismã muito poderoso... mas eu fiquei com medo da Klaive que ele trazia escondida. Senti a presença do espírito da Klaive e me pergunto como ele conseguiu prender um ser daqueles naquela arma...


*Enquanto Xian se perguntava onde sua avó teria visto minha Klaive, ou Grande adaga, eu já sumira da vista delas. As pessoas do bairro, na maioria Kitsunes ou seus parentes, agora me olhavam, não com o olhar de ódio de antes, mas com um olhar de medo, principalmente por eu ter saído inteiro daquele bar, e caminhei calmamente, sem temer ser atacado de novo. Coisa rara na minha vida. Duas horas depois, meu bonde chega aonde eu realmente queria chegar: o bairro Hinata. Sem as orientações da velha, eu me perderia mais umas dez vezes antes de chegar lá. Ô lugarzinho difícil aquele sem-vergonha escolheu pra morar! Pra piorar, eu não sentia que ali fosse território de nenhum metamorfo, fosse lobisomem, kitsune ou qualquer outro, nem de nenhum tipo de monstro, wyrmling ou youkai. Na verdade, tinha sentindo poucos lugares na Terra que eram tão neutros assim, era como se tudo e todos se afastassem daquele lugar, por respeito ou... medo. E por outro lado, havia um certo magnetismo no ar... Mas também pudera. Se "ele" morava ali, era natural que aquele lugar fosse seguro... mas pelo que a velha falou, não era só "ele", mas muitos outros seres fantásticos também moravam lá. E ela tinha razão. Por precaução, eu estava disfarçando meu cheiro como o de um humano desta vez, pois sentira um monte de cheiros diferentes: cheiro de magia, cheiro de deserto, cheiro de templos chineses, cheiro de um... lobisomem? Naquele lugar?! Pior, eu não tinha certeza mas me parecia sentir cheiro de zumbis ou... vampiros... Estranho... espero não ter que matar ninguém ali (mesmo algum vampiro desgraçado)... senti cerca de duas dezenas de cheiros, um mais diferente do que o outro, até o de uma criatura que eu não sabia dizer se era um gato ou coelho, e claro, também senti o cheiro "dele". Sorri. Eu chegara mesmo ao lugar certo. Pedi orientações a dois moradores daquela área e, desta vez, fui gentilmente atendido (em parte por meu cheiro estar disfarçado como humano...).*

Idoso: Bom meu jovem, se quer chegar até a Pensão Hinata, siga por esta escadaria, dobre à direita e depois suba a escadaria maior que encontrar. Vai para direto lá. Mas eu não iria lá se fosse você.
Vento Uivante: Por quê?
Idoso: Naquele lugar acontece todo tipo de coisas estranhas... tem gente brigando e balançando espadas, explosões acontecem quase todo dia, festivais de luzes, e até monstros aparecem lá.
Vento Uivante (sorrindo): Pelo visto estou indo para o lugar certo...
Idoso: Como?
Vento Uivante: Nada não. Muito obrigado, senhor.

*Me curvo agradecendo à moda japonesa, ajeito minha mochila nas costas e começo a andar seguindo as orientações do homem. Logo chego na grande escadaria e, no topo dela, a famosa Pensão Hinata. Finalmente entendo tudo; de longe, eu podia ver a imensa aura que recobria a Pensão, era quase como se o prédio inteiro estivesse vivo. E do ponto de vista Garou, realmente estava: aquela pensão tinha uma energia incrível, e eu notara que o Espírito dela era muito forte; muito provavelmente ela tivesse sido construída em cima de um Caern, da onde emanava o próprio poder da Terra, e isto explicaria não só sua energia, mas também todos os seres que moravam nela. Ajeitei a mochila mais uma vez e comecei a subir a escadaria; foi quando eu vi um outro prédio menor, à frente da Pensão: Casa de Chá, dizia o letreiro. Casa de Chá? Bom, seria uma boa mesmo molhar a garganta antes de encontrar meu amigo. E se a Casa de Chá era parte da Pensão, talvez eu pudesse até conseguir mais algumas informações ali. Entrei na Casa de Chá; um ambiente bem agradável, mas no instante que entrei, eu senti uma sensação estranha. Era como se eu estivesse num lugar bem selvagem, como se a Wyld, a força do Caos, reinasse lá.*

Vento Uivante (Pensando): Humm... estranho... será que existe algum Wyldling nas proximidades...? Teria que ser um bem poderoso... ou talvez seja a energia da Pensão que está fazendo isto...?

*Afasto aqueles pensamentos e toco na campainha. Uma mocinha, uma das "maids" da Casa de Chá, vem me atender. Quando ela me vê, parece assustada, mas seu rosto ruboriza, e notando que sou estrangeiro tenta falar comigo em Inglês.*

Maid: G-good morning, sir... ca-can I... may... s-serve you...?

*Noto que ela estava nervosa, não exatamente por não estar acostumada a falar em Inglês, mas com a minha visão. Natural. Embora eu não fosse exatamente bonito (minhas cicatrizes, apesar de profundas, não chegavam a me deixar feio), como qualquer Lobisomem eu exercia um fascínio incomum nos humanos, mesmo em forma humana: era a Atração Animal através do Instinto Primitivo; a mesma sensação que uma pessoa tem ao ver um urso ou leão de perto, que pode ser tanto medo quanto fascínio, mas aumentada milhares de vezes devido à minha natureza sobrenatural, e aos feromônios que eu exalava, irresistíveis aos humanos. Se eu quisesse, podia enlouquecer de tesão (ou matar de medo) a maioria dos seres humanos ao lhes mostrar um pouco da minha Fera interior, sem nem mesmo usar um de meus Dons ou magias. Decidi então só brincar um pouco e dar uma amostra à maid do que eu era capaz.*

Vento Uivante (falando em Japonês e fitando-a diretamente nos olhos): Não precisa falar comigo em Inglês, pequena. Entendo bem seu idioma. Quanto ao meu pedido, gostaria de um pouco de chá Oolong e uma fatia desta torta de morango do cardápio, mas só porque você foi tão gentil e atenciosa em me atender em Inglês.
Maid: H-hai, kokyaku-sama...




*Ela se curva, me serve o chá que estava numa bandeja próxima e se retira se curvando para ir buscar minha torta, mas ao me olhar de novo eu aumento um pouco mais meu Instinto Primitivo e lanço um sorriso matador pra ela; o cheiro que vem de suas pernas naquele instante prova que consegui o que queria. Mas ia ficar só naquilo; meu amigo que eu havia ido visitar já havia me alertado sobre causar confusões, e não queria fazer isso na casa dele. Aproveito para olhar de novo a Casa de Chá, e percebo que ela era feita de várias salas; na sala mais interior, que provavelmente era a Área VIP (OFF: Considero que é ali onde todos estão, fora de vista do pequeno saguão de entrada que aparece na primeira imagem deste tópico, lá na primeira página) posso ouvir claramente graças a meus ouvidos de lobo pessoas conversando e uma certa confusão. Que será que estava acontecendo? De repente, começo a sentir algo estranho; palavras esquisitas começam a ressoar na minha mente*

"Um dois! Um, dois! Sua espada mavorta

Vai-vem, vem-vai, para tras, para diante!

Cabeca fere, corta e, fera morta,

Ei-lo que volta galunfante."



*Olho no espelho e vejo minha imagem ficar um pouco nublada; é como se minha imagem dissolvesse e mudasse de repente, e eu visse outra pessoa no espelho, um... Cavaleiro Branco?! Cheiro de novo o chá. Não sinto nenhum cheiro estranho, então não foi nenhuma droga ou planta. Olho pela janela e vejo que do lado de fora estava tudo normal; olho então pela porta através do espelho e a cena que vejo me espanta*



Vento Uivante: Em nome de Gaia, o que...?

*Mal vi que a maid havia retornado e colocado a fatia de torta em cima da mesa, ela retorna por onde veio desta vez sem conversar (ainda estava envergonhada com o que acontecera antes...). Mesmo assim, não me atrevo a comer a torta. Tento raciocinar o que estava acontecendo; era como se tudo estivesse diferente e estivéssemos em um outro mundo, outra dimensão e... sorrio. Finalmente eu entendera o que estava havendo ali. Olhando para onde eu ouvia as vozes, noto que há outras pessoas lá, talvez humanos, talvez alguns não-humanos além das maids. Se o que eu imaginava realmente estava acontecendo, os humanos poderiam estar em perigo. Aquilo me lembrava muito todas as vezes que eu "Percorria Atalhos" para a Umbra, mas nunca tinha feito isto dessa forma. Respiro fundo, decido que o encontro com meu amigo pode esperar, atravesso a porta e vou na direção das vozes. Estou agora numa imensa floresta, vestido como Cavaleiro Branco. Sorrio de novo. Pelo visto, eu estava certo. Só faltava agora eu encontrar uma "Alice" no caminho...*


Continuem...

_________________


"Mac Allah(Poderoso é Deus)... eu sou apenas Seu humilde servo."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Akane
Finalmente Adolescente o/
avatar

Peixes Cavalo
Número de Mensagens : 63
Idade : 15
Localização : Atualmente Pensão Hinata
Emprego/lazer : ...
Humor : ...
Data de inscrição : 16/01/2008

MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   Seg Abr 13, 2015 9:24 am

OFF: A música é ótima, mas melhor ainda aos 1:42 huhuuhuhu



*Ao mesmo tempo no Inferno, um Incubus chamado Marbas, com seu ódio por ter sido derrotado por meros humanos, conseguiu derrotar alguns demônios de nível maior, e agora tomava conta de um dos círculos do inferno. Seu nome...

Ex Inferis...




E ele estava querendo voltar...

Marbas pensando, sentado em seu trono: "Akane... minha cara irmã... Você está viva... me aguarde... agora você não tem mais tanto poder assim, e sua mãe... bem... a devorei no jantar... "

AUHAUHAUHAUAHUAHAUHAUHAUAHUAH  Laughing  Laughing  Laughing  Laughing

Uma risada insana ecoa pelos 5 cantos infernais, e a porta do inferno, aberta sob o anexo da pensão vibra intensamente...*

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: ~ DaiSuki Tea House ~   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
~ DaiSuki Tea House ~
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 5 de 5Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5
 Tópicos similares
-
» 1º Open House - Bikersbase - Portalegre
» Vocês acham que usam rodas largas???? (Pintura Flake / Kameleon)
» Capela da ventoinha do motor VW boxer. Tipos.
» ER-6 in the hOusE!

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Hinata Sou ~ Wellcome :: ~ Hinata Sou ~ :: *~* Chá com Sake *~*-
Ir para: