Pensionato de loucos... você entra e viaja nas mais loucas aventuras criadas por nossos consciêntes! Baseado na história original de Ken Akamatsu ~ LOVE HINA XD Divirta-se!
 
HallInícioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Saga secundária: THE ORPHANAGE - TENTANDO SOBREVIVER

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3  Seguinte
AutorMensagem
Khronos Squall

avatar

Número de Mensagens : 6
Data de inscrição : 17/07/2014

MensagemAssunto: Re: Saga secundária: THE ORPHANAGE - TENTANDO SOBREVIVER   Qui Ago 28, 2014 10:13 pm

Off: Que isso ?! kkkkk imaginação fértil Very Happy

-----------------------------------------------------------

Olho atentamente para a garota que estava olhando para mim, que sem eu perceber, acabo me sentindo estranho. Desvio olhar enquanto ouço sua voz entrar suavemente em meus ouvidos.

- Ahm... Sayuri-chan... vamos ver o que faremos... sobre o seu segundo nome... - Meu olhar se torna sério - Acho que sei o que significa, mas por enquanto... - Olho para Iori - Vamos para um local mais reservado... Não é senhor Iori ? E... não é Esquilo... ( .___.' )

Me levanto delicadamente enquanto seguro o braço de Sayuri carinhosamente ajudando-a a fazer o mesmo. O vento estava forte e frio, meu mestre me disse um dia sobre os servos da morte que reencarnam sobre a terra. Não sei se era realmente aquilo que estava nela ou era apenas fatos que batem muito com os fatos que estavam nos livros que estudei sobre isso... Arrepios constantes, uma aura estranha e ainda mais, em uma adolescente.

Enquanto eu meditava sobre os assuntos que estavam me perturbando, algo se revelou sobre o local do nada, algo que soava muito relativo ao super heróis japoneses... Olho para para o local da luz e vejo um rapaz com uma cueca dourada sobre a calça.

- ... - Paro e olho de boca aberta - Pf.... - Me seguro para não rir - HAHAHAHAHAHA ! Ta pior que o Aquaman ! - Chorando de rir, eu vou parando de rir aos poucos, bem... Lentamente. - Ahm... - Olho novamente para o Herói - HAHAHAHAHA ! Aceito o apelido de esquilo, nada é pior que aquilo ! - O meu lado cômico estava se saindo muito e então resolvo paro de rir de uma vez, tentando imaginar o rapaz vestido de super homem dourado um rapaz comum. - Ahm... Não sei senhor Iori, quanto mais ajuda, melhor... Não acha ? Sayuri-chan ? - Acaricio os longos cabelos dela de cima para baixo. - Primeiro sugiro que temos que ir em algum lugar reservado... sei la...

----------------------------------------------

Continuem

Off : Perdão, mas eu ri muito e acabei colocando o personagem rindo tbm... Very Happy
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Kaname Sayuri

avatar

Número de Mensagens : 6
Data de inscrição : 16/07/2014

MensagemAssunto: Re: Saga secundária: THE ORPHANAGE - TENTANDO SOBREVIVER   Qui Set 18, 2014 9:05 pm

Cada alma diz alguma coisa, embora aquele momento anterior ela estivesse passando por uns maus bocados, a presença daquele homem "extravagante" de certa forma lhe trazia lembranças boas. Vendo aqueles seres ao seu redor, Sayuri de repente se sentiu desconfortável, sorriu sem jeito tentando se acalmar.

- Me desculpem... Mas... - Ela se levanta séria, meio trêmula, não quis esperar achou melhor fugir sozinha. - Tudo que aconteceu comigo foi demais para um dia. Eu preciso sair daqui, antes que os "outros" me descubram... Se eu continuar com as mikos, vivendo neste lugar, não vou encontrar aquilo que fui designada a fazer, ou seja, meu real objetivo.

Ela se aproxima do herói toca em seu ombro e sussurra.

- Jii san você fica péssimo com essa roupa. Se eu continuar aqui, vou acabar ferindo alguém de novo... - Ela sorri e vai se afastando dali se despedindo de todos com um olhar de profunda solidão, indo em direção a algumas arvores andando lentamente.

Uma sombra, surge na frente dos três, um ser que emanava puro sofrimento ao mesmo tempo que um certo conforto, ele não mostrava seu rosto. Ainda sim se mantinha distante o bastante para observar a situação.


- Você vieram atrás de respostas? - Sua voz saia rouca ao mesmo tempo que melancólica. - Então me façam um pequeno favor... Protejam ela deles... - Ele ergue o braço até o céu, onde se vêem muitos, não, milhares de seres espirituais, youkais e demonios que sobrevoavam ao redor a procura da garota que se dizia a morte. - Se vocês conseguirem, eu lhes contarei a verdade, mas, precisam protege-la primeiro. E trazê-la para mim...

Dê repente, naquele instante se ouve um grito, os monstros criaram um redemoinho de energia negativa aliada a grande ventania, as Mikos assustadas começaram a lutar, e a gritarem pelo nome de Sayuri, mas, era tarde, e algum momento depois se vê um corvo espiritual gigante carregar Kaname para acima das montanhas. Antes que pudesse se mover do local, outros seres por terra cercavam os 3 homens.

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Azrael_I
Chefe da Guarda
avatar

Capricórnio Porco
Número de Mensagens : 186
Idade : 34
Data de inscrição : 11/01/2008

MensagemAssunto: Re: Saga secundária: THE ORPHANAGE - TENTANDO SOBREVIVER   Sex Set 19, 2014 6:04 pm

OFF: Não se preocupe, Harima, sei como é, hehe. E não se preocupe também, Squall, a intenção era justamente essa, fazer tanto os personagens quanto seus escritores rirem.


ON:

*Minha cara fica como se eu tivesse lambido um limão. Pow, ser chamado de Syndrome em comparação com o vilão dos Incríveis ainda vá lá, já fui chamado de coisa bem pior, mas ser comparado com o AQUAMAN?! Dói mais do que levar uma marretada nas bolas... Tudo bem, pelo menos eu não sou um "Cuequinha Escamosa" nem tento voar usando peixes voadores... Pigarreio e volto a sorrir, com os braços cruzados à frente do corpo.*

Super-Seven: Hahaha, não, não não, meu caro sem-teto, não sou um cosplayer ou um maluco, eu sou o Super-herói e campeão da Terra, o Super-Seven!

*Mesmo mantendo a pose, eu ainda estava abalado com a comparação ao Aquaman, tanto que não senti as criaturas que se aproximavam do orfanato. Sayuri chegou perto de mim e me chamou de Jii-san, me abalando ainda mais. Desta vez não perdi a pose ou o sorriso, mas fiquei pensativo*

Super-seven (pensando): Ela... percebeu quem eu era? Não, impossível... mesmo assim, o poder dela deve torná-la capaz de ler a minha alma e saber quem eu sou. Que coisa... minha máscara me protege de telepatia e magias de leitura da mente, minha roupa disfarça meu cheiro e evita que eu deixe rastros de DNA mesmo que sangre, e meus poderes evitam que minha energia possa ser descoberta por pessoas que sejam capazes de sentir a presença e o Ki mas... pelo visto, ainda existem formas de burlar tudo isso. Ótimo, excelente que Sayuri tenha sido a pessoa a me identificar, duvido que ela revele minha identidade... quando voltar pra casa, tratarei de pedir pro meu amigo mais um encanto na minha roupa que também torne-a capaz de impedir que pessoas com poderes semelhantes aos de Sayuri me identifiquem... pois se ela consegue, com certeza mesmo outros também poderão, se me conhecerem. Talvez até mesmo anjos e demonios possam.

*Aquilo havia me distraído ainda mais, me fazendo divagar e ignorar meus arredores, um erro do qual eu viria a me arrepender logo. É então que sinto aquela presença estranha, e também todas as outras que nos cercavam; o ser encapuzado falou comigo e com os outros dois*

Encapuzado (na falta de um nome...): Você vieram atrás de respostas? - Sua voz saia rouca ao mesmo tempo que melancólica. - Então me façam um pequeno favor... Protejam ela deles... - Ele ergue o braço até o céu, onde se vêem muitos, não, milhares de seres espirituais, youkais e demonios que sobrevoavam ao redor a procura da garota que se dizia a morte. - Se vocês conseguirem, eu lhes contarei a verdade, mas, precisam protege-la primeiro. E trazê-la para mim...

*Nos vemos cercados e também vejo Sayuri ser levada pelo corvo espiritual. Eu poderia facilmente alcançá-la mas... se eles estavam sequestrando-a, significa que ela não corria perigo, ao menos por enquanto. Por outro lado, as crianças do orfanato, as Mikos e meus dois colegas estavam em sérios apuros. Agora sim, era hora de ser herói.*

Super-Seven (falando com o encapuzado): Eu vou salvá-la sim, mas não para você ou porque você quer.

*Rapidamente, eu, Squall e Iori somos cercados por um grupo de youkais liderados por um demonio imenso. Ele levanta a mão para nos atacar, mas antes mesmo que ele pisque eu o acerto em cheio com um soco; meu soco era completamente sem técnica, qualquer artista marcial que visse sentiria como se fosse tão errático quanto uma criança brincando de boxe. Mesmo assim...*

Super-Seven: SOCO DA JUSTIÇA! (nome do golpe inventado na hora)



*O corpo físico do demonio evapora, enquanto sua alma retorna ao Além; vários outros que estavam atrás dele também são derrubados pela onda de choque do meu ataque. Os youkais que o seguiam dão um passo pra trás quando olho para eles.*

Super-Seven: Detesto demonios...volte para o Além, da onde você nunca deveria ter saído, ser maléfico! Esquilo hã, digo, Squall, acredito que você consiga cuidar desses aqui e proteger nosso colega andarilho. Eu vou ajudar as Mikos e as crianças, em seguida vocês dois e eu vamos atrás da menina que eles levaram.

*Simplesmente me movimento em rápida velocidade, sumindo da vista de todos e aparecendo diante das Mikos, que estavam ocupadas enfrentando um bando de youkais. Faço uma série de poses.*




Super-Seven: Não se preocupem, senhoritas! O Super-Seven está aqui para protegê-las destas feras selvagens! Tirem as crianças daqui enquanto eu me encarrego dessas coisas feias!
Dayan (que também estava do lado de fora com outras crianças): Mas... não pode ser! É o Super-Seven! Ele veio nos salvar!
Arisa: O que esse idiota vestido de palhaço está fazendo...?

*Todas as mikos me olham com cara de ¬¬' , enquanto Dayan chuta Arisa na canela por ter me xingado (e leva um cascudo em retribuição). Mesmo assim, eu consegui meu objetivo: desviei a atenção dos youkais para mim. O imenso grupo de monstros avança como uma onda contra mim; sem titubear, agarro um deles (que parecia uma lagosta gigante) pela garra e, usando-o como se fosse um bastão de beisebol, acerto todos que estão à minha frente*

Super-Seven: JUSTICE HOMERUN! (nome inventado na hora)

*Os youkais derrotados são arremessados por quilômetros, na direção das montanhas da onde vieram. As mikos olham então incrédulas eu acertando os youkais no ar, como se estivesse varrendo sujeira com uma vassoura gigante (que era o pobre youkai-lagosta)*

Arisa: Quem... ou o que é esse sujeito?! Como pode derrotar youkais dessa forma tão... ridícula?
Shizaki: "Um sujeito muito espalhafatoso"... Então era desse que o jii-san estava falando? Rápido, não há tempo a perder, vamos levar as crianças para o orfanato!
Arisa: Mas...
Shizaki: Se ficarmos aqui, só vamos atrapalhar. Temos que pensar primeiro na segurança das crianças.
Dayan: Ah mas... Shizaki-san, eu quero ver o Super-Seven lutar!
Shizaki: Vamos ver de DENTRO do prédio, Dayan-kun.

*As mikos e as crianças então entram correndo no prédio do orfanato (com Dayan sendo carregado por Arisa e mordendo o braço da pobre miko), sendo acobertadas pelas flechas de Shizaki contra os Youkais que escapavam dos meus ataques. Quando todos entraram, eu peguei o youkai-lagosta e o arremessei contra a imensa massa de youkais; os que escaparam inteiros então mudaram de tática: um grupo deles parecidos com besouros começou a expelir uma miasma (névoa venenosa) na minha direção. Respirei bem fundo e então assoprei a miasma de volta contra os youkais, fazendo muitos deles desabarem como abelhas sendo dedetizadas. Os youkais pararam, assustados. Apontei minha mão para eles*

Super-seven: Ouçam bem, Youkais! Sei bem que a maioria de vocês não me entende, ou finge não entender, mas vou falar do mesmo jeito: dou a vocês uma única chance de desistirem e voltarem para onde vieram. Caso contrário, terei que pegar pesado com vocês...

*Os youkais me olham apalermados; então eles soltam um urro em conjunto e avançaram contra mim. Estalo os dedos da mão.*

Super-Seven: É... vai ser do jeito divertido então.

*Tomo fôlego novamente e dou um grito; meu grito é tão forte que explode a cabeça de quase a metade dos youkais (tinham o ouvido mais sensível que cachorros) e despedaça quase todas as vidraças do orfanato e da vizinhança. Avanço então pro meio do grupo e começo a derrubar os youkais batendo neles não com minhas mãos ou com meus pés, mas com a minha capa, como se fosse um chicote. Era uma cena surreal: de braços cruzados no meio daquele grupo de monstros, nenhum conseguia chegar perto de mim, seus corpos físicos sendo feitos em pedaços por golpes da minha capa que girava como um bambolê no meu pescoço! Eu não fazia aquilo por brincadeira, a verdade é que a minha capa tinha um alcance maior do que meus braços e pernas, portanto era mais fácil manter a distância deles, ao mesmo tempo que eu poupava minhas forças. Mesmo me divertindo, eu sabia que não podia demorar muito, pois ainda tinha que resgatar a Sayuri-chan. E como estariam aqueles meus dois companheiros de antes?*


Continuem...

_________________






"Queira o melhor... mas prepare-se para o pior do pior."

"Que Deus tenha piedade da sua alma... pois eu não terei!!!"
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Xysuke
~ Chefe da Cozinha ~
avatar

Leão Coelho
Número de Mensagens : 487
Idade : 30
Data de inscrição : 10/01/2008

MensagemAssunto: Re: Saga secundária: THE ORPHANAGE - TENTANDO SOBREVIVER   Sex Set 19, 2014 7:32 pm

Permissão para me intrometer na história, com uma piadinha meme...

--



--

Pronto, podem seguir...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Khronos Squall

avatar

Número de Mensagens : 6
Data de inscrição : 17/07/2014

MensagemAssunto: Re: Saga secundária: THE ORPHANAGE - TENTANDO SOBREVIVER   Dom Set 28, 2014 9:39 am

Off: HAUHAUHAUHA Essa foi genial Xysuke Very Happy e ri muito com o post Az !

-----------------------------------------------------------

Sayuri: - Me desculpem... Mas... - Ela se levanta séria, meio trêmula, não quis esperar achou melhor fugir sozinha. - Tudo que aconteceu comigo foi demais para um dia. Eu preciso sair daqui, antes que os "outros" me descubram... Se eu continuar com as mikos, vivendo neste lugar, não vou encontrar aquilo que fui designada a fazer, ou seja, meu real objetivo.

" Como assim?! " Fiquei pensando em qual seria esse tal de " Objetivo ". Sayuri pelo menos aparentava ser uma garota nova, que podia muito bem viver sua juventude curtindo a vida com seus amigos saindo e se divertindo, mas sua responsabilidade era grande sendo a "morte", parecia que ela tinha que cumpri uma tarefa pesada mesmo sendo tão nova. Fiquei refletindo nisso enquanto ouvia o Super7 retrucar a piada que Iori tinha feito.

- Acho que não estamos sozinho por aqui... - Senti uma presença estranha entre nós, até então perceber que havia uma sombra surgindo no meio dos três.

??? (Sombra): - Você vieram atrás de respostas? - Sua voz saia rouca ao mesmo tempo que melancólica. - Então me façam um pequeno favor... Protejam ela deles... - Ele ergue o braço até o céu, onde se vêem muitos, não, milhares de seres espirituais, youkais e demonios que sobrevoavam ao redor a procura da garota que se dizia a morte. - Se vocês conseguirem, eu lhes contarei a verdade, mas, precisam protege-la primeiro. E trazê-la para mim...

Logo, nos vimos cercados pelos Youkais e demonios no local, rapidamente fechei os meus olhos e conjurei algumas palavras enquanto levantava minhas mão para o alto.


- " Serei a luz que domina a escuridão ( Então surge uma aura branca que envolve o meu corpo) e a espada que queimará o sangue dos impuros ( Logo surge duas espadas longas de laminas vermelhas nas duas mãos), darei a vocês, a minha benção como Hekamia. " - Por último, surge um par de asas em suas costas.

Logo empunho as espadas enquanto vejo Sayuri sendo levada pelo corvo, mas cercado pelos Youkais, sou obrigado a enfrentá-los primeiro. Sem pensar duas vezes, levanto as minhas asas e dou um salto de cinco metros e avanço enquanto voava em nossa volta retalhando os monstros.

Super-Seven: Detesto demonios...volte para o Além, da onde você nunca deveria ter saído, ser maléfico! Esquilo hã, digo, Squall, acredito que você consiga cuidar desses aqui e proteger nosso colega andarilho. Eu vou ajudar as Mikos e as crianças, em seguida vocês dois e eu vamos atrás da menina que eles levaram.

- Tudo bem Aquama... - Paro de falar enquanto dou uma pequena risada - SuperSete ! Vamos nos apressar. - Dizia ele enquanto levantava voo novamente e olhava para Iori - Derrote os que estão mais perto de você, vou pegar esses voadores aqui. - Levanto as duas espada para o céu e fecho os olhos - LUZ DIVINA ! - No céu, uma luz cai sobre mim enquanto fazia um pequeno buraco nas nuvens nublados  acinzentados. - Magnum Light ! - Dou um grito fazendo com que a luz se expanda para todos os lados do local, derrotando todos os demônios em volta.



Contra os Youkais, apelo pelo golpe corporal, usando as espadas com extrema agilidade e destreza desferindo golpes em alta velocidade enquanto voava rapidamente em direção de um em um até acabar com quase todos eles.

- Agora preciso salvar Sayuri, espero que os outros dois estejam bem. - Bato as asas em direção as montanhas enquanto passava ao lado do SuperSete vendo-o derrotar os outros de uma forma bem... Estranha. Logo tento chamar sua atenção voando em sua frente enquanto fazia sinal para ele ,dizendo a ele que iria atrás de Sayuri apontando para as montanhas.


Continuem !
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Harima Kenji
Sub-Gerente e Sub-Chefe da Guarda
avatar

Libra Dragão
Número de Mensagens : 160
Idade : 29
Emprego/lazer : Programador / Professor
Humor : O de sempre
Data de inscrição : 08/01/2008

MensagemAssunto: Re: Saga secundária: THE ORPHANAGE - TENTANDO SOBREVIVER   Ter Set 30, 2014 11:04 am

** Iori não tinha a menor ideia do que tava rolando ali! Youkais em forma orgânica? cacilds! ele morava ao lado um templo e nunca vira um! Quando Kaname é levada, Iori vê os poderes de seus amigos e logo vê que a única coisa que podia fazer era segui-la. **

Iori: como andarilho, ninguém conhece as montanhas melhor do que eu! você! solte a garota agora!

** Corro atras daquele ser como se fosse minha corrida pela vida, e por algum motivo, consegui acompanhá-lo mesmo ele tendo asas, me sentia leve, sim, mas ainda assim, estava correndo mais do que uma pessoa normal, chegando ao topo da montanha, vi que nem Squall e nem Super7 haviam chego ao local, e assim que avistei a criatura bradei, da mesma forma que faziam no templo: **

Iori: Ser espiritual! Revele suas intenções!

** Respiro fundo, nunca senti tanta coragem em mim, algo novo e energizante corria pelo meu corpo, algo como chamas envolviam minhas mãos, mas não me queimavam, agora era meu proprio eu quem dizia **

Iori: Solte esta garota agora, ou enfrente a minha fúria.

_______________________________________________________

Continuem!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Kaname Sayuri

avatar

Número de Mensagens : 6
Data de inscrição : 16/07/2014

MensagemAssunto: Re: Saga secundária: THE ORPHANAGE - TENTANDO SOBREVIVER   Ter Nov 04, 2014 10:09 pm

Enquanto os rapazes se esforçavam ao máximo para correrem em direção aonde Sayuri havia sido levada, uma cortina de miasma se sobrepôs entre o youkai e ela, evitando que ela fosse resgatada de alguma forma ou de alguém.

Nesse meio tempo, vários monstros saiam da mesma montanha indo em direção aos heróis, literalmente como suicidas. As criaturas se jogavam em cima dos rapazes como bombas prontas para explodirem. O corvo cansado, começou a se aproximar do local de "encontro", cansado deixou que Sayuri caísse de uma altura de dois metros e rolasse para dentro de uma caverna úmida e iluminada com algumas lamparinas suspeitas em chamas azuis.

Onde ela se encontrava não sabia, mas sua pulsação era forte em angústia e pavor.


- Enfim... Nossa arma chegou... - Ela sorriu em satisfação ao ver a garota chegando a caverna abaixo do castelo abandonado.

Sayuri, caminhou para fora apenas alguns minutos, mas, fora empurrada de volta por um vento absurdamente forte de outro youkai, agora sendo uma mulher.

- Q-quem é você? - Assustada se recolheu a um canto e observou a mulher.

Uma risada sarcástica ecoa pelo ar.


- Enfim, a Sombra da morte renasceu, a Shinigami destinada pelo próprio Uriel a cumprir sua tarefa enquanto está fora... É uma honra tê-la em sob meus cuidados Kaname Sayuri. Antes que me pergunte, deixe-me me apresentar, meu nome é Kazua Aya muitos me chamam de Azuya a senhora do vento, Azuya é a simplificação de meu nome. Trabalho para um dos sete lords do inferno Azazel. - Ela se curvou ainda sarcasticamente. - Fui encarregada de lhe instruir sobre sua real missão na Terra e te encaminhar até lá.


- O que? Shini... O que?... Azazel? Não... NÃO! Eu nunca faria algo ruim para alguém! - Ela grita desesperada indo em direção a Azuya.

A youkai esbofeteia a cara de Sayuri, a fazendo cair sob uma poça de água.


- SAIBA QUE A ESCOLHA NÃO É SUA EM QUERER OU NÃO FAZER PARTE DISTO! VOCÊ NASCEU COM UM PROPÓSITO E ESSE É DESTRUIR AQUELA QUE DETÊM O PODER DIVINO JUNTO DE TODOS AQUELES QUE PROTEGEM A TERRA E O MUNDO CELESTIAL! VOCÊ NÃO TEM ESCOLHA! VOCÊ É A ESCOLHIDA PELO MEU MESTRE! Você deve destruir qualquer coisa que estiver em teu caminho para este fim! - Ela vê o reflexo da garota na água e solta uma leve risada. - Vê é assim que você realmente é.

A garota olha para o reflexo e aos poucos acalmando o desespero se dá conta da "verdade" de Azuya.

- Heh... Essa sou eu então... - Sorri meio desequilibrada.


- Isso mesmo, essa é você. Sua alma fora tirada das profundezas, pois, foste a única a aguentar o poder que Uriel lhe deste, mas, ele não sabia que sua vida anterior era de luxúria e prazer e você se vendeu a meu mestre naquele momento. Você nos deve, e viemos cobrar o que é de meu mestre por direito, não há o que reclamar, a cada dia que passares verá que suas lembranças de sua outra vida virão como flashes repentinos, eu lhe darei as coordenadas para enfim encontrares o lugar onde deves residir a partir de hoje, ao meio-dia de amanhã esteja nesta caverna, pois, um portal será aberto para que vá de encontro a teu destino, esteja aqui, ou então tudo que tens agora, vais perder aos poucos.

Depois da mensagem deixada Azuya desapareceu nos céus voando com a imensidão de monstros ao seu redor. Sayuri seguiu para fora da caverna, assustada, naquele momento seus pensamentos vagaram longe, e o medo assolava seu interior.



- Meu Deus, perdoai meus pecados... Por favor... - Escorre lágrimas novamente pela sua face.


_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Khronos Squall

avatar

Número de Mensagens : 6
Data de inscrição : 17/07/2014

MensagemAssunto: Re: Saga secundária: THE ORPHANAGE - TENTANDO SOBREVIVER   Qui Dez 11, 2014 9:06 pm

" Que a sua benção caia sobre nós... "

Khronos se defendia de todos os lados possível, desviando e contra-atacando todos os youkais e demonios que vinham em sua volta, ele arfava de cansaço enquanto seus punhos destroçavam os mesmos sem piedade alguma. Os olhos do guerreiro acompanhavam o trajeto que o corvo fazia com atenção sem se distrair na batalha.

(Ouçam a musica a partir daqui ! )

- Sayuri, não vou deixar que a levem ! - Ele derrubava de um em um, sem parar, mas o cansaço começava a afetar seu corpo, pois ainda haviam milhares deles e não paravam de vim. - Droga ! - Ele tenta criar forças para continuar, mas sem sucesso, acaba sendo ferido pelas costas por um dos demônios, criando uma ferida gigantesca desde o começo de sua coluna até o final.

Ele grita de dor enquanto os monstros se aglomeravam em sua volta, e quase sem energia, ele usa uma de suas magias sagradas e cria uma fraca barreira em sua volta.


- Arf... arf...

Sua respiração era pesada e repetitiva, seu fôlego já estava no limite e sua energia também, sua barreira não iria durar muito tempo e ele precisava achar alguma solução. Sem muito o que fazer, se ajoelhou sobre a terra úmida e então fechou os olhos.

- Eu sei que a humanidade está em dívida com o senhor, sei que o senhor ama a sua criação e por isso estou aqui, para defender o seu nome e os meus irmãos... por isso lhe peço que ilumine o meu caminho, mê de mais um pouco de força... para que eu possa cumprir o meu dever...

Khronos então sentiu um calor em seu peito, um conforto no qual ele jamais sentiu em seu vida, como se alguém estivesse lhe abraçando ternamente, e então uma voz suave e feminina surgiu em sua volta.

- " Estou aqui para lhe conceder o meu desejo e o meu poder a você... Deus me enviou para lhe guiar sobre este mundo e então eu o farei... filho. "

Khronos então logo abriu os olhos e gritou ferozmente com toda a sua força, criando uma onda de energia sagrada eliminando a metade dos seres que ali estavam aglomerados.

- Não desperdiçarei a sua benção... mãe.

Seis asas brancas surgiam em suas costas, como se pequenos de milhares de fragmentos estivessem se juntando rapidamente e se aglomerando em um lugar só, logo ele dá um super salto e bate as asas ficando em pleno ar. Sem pensar duas vezes, ele faz o sinal da cruz em sua frente, morde o dedão fazendo o mesmo sangrar e então desenha um outro sinal da cruz em sua palma da mão direita.

- "Domine essa escuridão, ilumine as vossas almas, acreditai em sua fé e que a sua benção seja feita... "

Após isso, ele começa a falar em uma linguá estranha e totalmente desconhecido, e logo um pentagrama de luz aparece em sua palma saindo de lá uma espada divina.


Empunhando a espada, ele bateu as asas e rapidamente ajudou seus companheiros a se livrarem dos monstros e logo voou para onde a Sayuri estava sendo levada, rapidamente conjurou novamente a barreira em sua volta para passar sobre a barreira de veneno, e obviamente criou a mesma barreira para o SuperSeven e para o Iori.

- Fiquem bem e venham logo ! - Gritou ele. - Disse ele passando sobre a barreira.


--------------------------------------------------------------------------------

Off: Já que ninguém postou em seguida, dei-me a liberdade de postar novamente... espero que não atrapalhe ninguém. No tópico das armas, logo que a Lety postar, postarei atrás, prometo!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Jiro Kimura

avatar

Áries Cavalo
Número de Mensagens : 3
Idade : 28
Data de inscrição : 25/04/2011

MensagemAssunto: Re: Saga secundária: THE ORPHANAGE - TENTANDO SOBREVIVER   Sab Jan 10, 2015 11:51 am

*Excursões... Jiro achava que somente no ensino médio faziam essas coisas. Ele era estudante da Okayama Daigaku, estudava medicina, assim como o irmão Ichiro. Ele achava uma perda de tempo esse tipo de passeio, mas viera a pedido do irmão mais velho. Agora com 19 anos, ele estava iniciando o curso, e sabia que tinha que dar tudo de si para ser o melhor. Filho de mãe solteira, via pouco a mãe que estava sempre trabalhando para sustentar os filhos. Sabia pouco sobre o pai, somente que ele lhe deixara uma quantia em dinheiro para ajudar nos custos da faculdade. O mesmo acontecia com o irmão um ano mais velho, que acreditavam ter o mesmo pai, pois a mãe não falava sobre isso com eles. Os dois viviam bem, e o amor pela Medicina era a única coisa que os dois tinham em comum. Ichiro era muito condescendente, deixando as pessoas fazerem o que quisessem com ele. Ele não! Sabia muito bem o que queria, e não ia ser influenciado, e muito menos manipulado.

Eles tinham passado por alguns dos pontos turísticos de Kyoto, e agora os 25 estudantes de medicina passavam por um bairro antigo, indo em direção ao hotel. Nisso Jiro sentiu uma dor de cabeça e seu coração começou a acelerar...

O que era aquilo? Pressão alta? Estava infartando? Tentou descobrir o que podia ser, mas antes que ele pudesse pensar em algo mais, o ônibus travou de repente e Jiro sentiu-se voar contra o corredor, quando o ônibus seguiu a inércia, e depois de um cavalo de pau, capotou....

Ele perdeu os sentidos por alguns segundos, e quando voltou a si, estava tonto, ouvindo gritos dos colegas feridos. Ele levantou-se, e percebendo que estava bem, seguiu pelo meio dos pertences espalhados pelo que seria o capô do ônibus virado, indo até seus colegas em pior estado. Ele procurou por Ichiro, que já estava em ação, junto com um dos professores que os acompanhavam. Que irônico, um ônibus de turismo, cheio de estudantes de medicina, capotar dessa forma.

Ele ouviu o gemido feminino de alguém a sua direita, e notou que os 2 bancos do meio do ônibus,  tinham soltado com a batida. Ele tirou com dificuldade os bancos de onde estavam, e ali uma de suas colegas estrangeiras, Mirian, sangrava pela boca, pois uma das molas do encosto do banco estava enterrada em seu tórax.*

Jiro: - Certo Mirian-sam, vamos com calma, agora vou tirar essa mola devagar, para estancarmos o sangue. OK?

*Miriam não parecia ouví-lo. Ela virou para ele, e arregalou os olhos. Um grito de puro pavor saiu dos lábios dela. Jiro não entendeu nenhuma palavra do que ela disse. Não fazia sentido. Ela estava delirando.*

Mirian: - Ahhhhhhhhhhhhhh!! Por favor não me leve! Eu não quero morrer! Vá embora daqui! Se afaste de mim!!! Nãooooooooooooo!!!!!!!!!! Não me toque!!!!!!!!!! Ahhhhhhhhhhhhhhhhhh!!

Jiro: - Não se preocupe, todos vão morrer um dia, é o curso da vida. Não lute contra ele Mirian, minha querida - Aquelas palavras saiam dos lábios de Jiro sem ele sequer perceber. - Agora chega de choro e venha comigo... - No momento que Jiro tocou no rosto de Mirian, ele voltou ao normal, e lembrou instantaneamente das palavras que falara, vendo a alma dela saindo pela boca e se dissolvendo no ar. - Ahh!!! O que foi isso??? - Jiro estava apavorado, agora quem delirava era ele! Tinha batido a cabeça, e via coisas, só podia ser isso. Ele saiu dali muito consternado e foi em direção a Ichiro, que olhava de boca aberta pela janela.

Jiro foi olhar também, e não acreditou no que via... *

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ichiro Kimura

avatar

Número de Mensagens : 8
Data de inscrição : 17/06/2009

MensagemAssunto: Re: Saga secundária: THE ORPHANAGE - TENTANDO SOBREVIVER   Sab Jan 10, 2015 11:19 pm

*Ahhh!!! Conhecer a história do Japão, aproveitando aquela vista maravilhosa, a brisa no meio das sakuras soltas na primavera! Ichiro adorava viajar, e por ele conheceria muitos lugares, mas acima disso tudo, ele queria fazer o bem às pessoas, e que forma melhor pra isso do que virando um médico!?
Seu irmão Jiro não gostara da idéia de viajar com ele, de viajar no seu todo, porém Ichiro percebera o quanto o irmão precisava de uma folga forçada. Ele mal saía, não tinha amigos, vivia só para o estudo. Isso não era saudável para um jovem de 19 anos.

Ichiro era um ano mais velho que ele, mas sentia-se responsável por Jiro. Mesmo quando eram pequenos, e o irmão metia-se em confusões e brigas, ele sempre o defendia. Ichiro queria ver o irmão feliz e realizado, e tentava ser o pai que Jiro não teve, mesmo sabendo que o irmão se irritava com isso.

A visita a cidade de Kyoto estava sendo ótima, e eles estavam indo para o hotel, quando aproximando-se de um bairro antigo, Ichiro notou que o vento estava estranho, e uma revoada de aves saiu em disparada de um local mais a frente na estrada. Um mau pressentimento tomou o coração de Ichiro (sensação que o acometia  sempre antes de algo ruim acontecer), mas tarde demais para fazer algo, pois o acidente não tinha como ser evitado.

Segurando-se no bagageiro acima de sua cabeça, Ichiro tentou segurar o irmão com as pernas, mas sem sucesso. Mas mesmo não conseguindo segurá-lo, evitou que ele se machucasse mais feio. Ele ficou somente desacordado com o solavanco da capotagem, sem se ferir demais. Saindo as pressas de sua poltrona, Ichiro correu para ajudar os que estavam feridos, verificando que teriam algumas baixas.

Jiro veio ajudá-lo minutos depois, com um semblante terrível, como se tivesse visto a morte em pessoa. Ouvindo vozes e estrondos fora do ônibus, Ichiro virou para as janelas, tentando ver o que provocara o acidente. Lá fora, próximo a uma construção antiga de um templo ou colégio, Ichiro pode ver centenas de seres estranhos, luzes e explosões. Jiro estava do seu lado olhando tudo aquilo horrorizado. O motorista recobrava os sentidos e dizia que o acidente fora provocado por uma força invisível, que o atacara, levando o volante para o lado, fazendo o ônibus capotar.  

Todo mundo saiu do ônibus, levando os feridos, já ligando para policia e socorro local. Ichiro e Jiro olhavam a cena boquiabertos. Um poder muito grande tinha sido usado naquele momento, e uma ventania tomou conta do lugar. Os irmãos se olharam, e olharam os colegas, e perceberam que ninguém parecia notar toda a luta de monstros e seres com poderes do outro lado da estrada.*

Jiro: - Nii-san, o que é isso tudo que só nós conseguimos ver?

Ichiro: - Não faço idéia, mas não estou gostando nada disso. Temos que sair logo daqui.

*Ichiro verificou seu celular... sem sinal... olhou para trás da estrada nada nem ninguém parecia aproximar-se. Mais algumas luzes e tremores e Ichiro, com um sentimento de terror, viu o irmão sendo arrastado por um ser enorme com asas.*

Ichiro: - Jiroooo!!!!!!!!!! - Ichiro correu em direção ao irmão, entrando mais ainda naquele caos. Ele percebeu que 3 homens pareciam lutar contra aqueles seres, enquanto Jiro gritava e tentava se soltar. No desespero e inconscientemente Ichiro movimentou seu braço direito na diagonal, como se tivesse uma espada, em direção ao monstro. Seus olhos vibraram em um brilho verde e de sua mão saiu uma rajada muito forte de vento, que cortou o monstro em dois. Jiro caiu no chão, no meio de muitos outros monstros, que vieram pra cima dele. Usando de uma força que não sabia possuir, levantou-se, atirando todos que estavam em cima de si para trás. Com os olhos em chamas purpuras, Jiro gritou em direção aos monstros e uma fenda abriu no chão, e todos os monstros daquela parte caíram na escuridão. A fenda fechou tão rápido quando abriu, deixando Jiro e Ichiro sem saber o que acontecia.

Os dois ficaram juntos, de costas, um tentando proteger o outro da melhor forma possível. De onde estavam podiam ver um homem de roupa de SuperMan, um que parecia normal, e outro com asas de anjo. Eles se olharam e decidiram ir para perto do homem normal... Queriam sair dali o mais rápido que pudessem...*

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Saga secundária: THE ORPHANAGE - TENTANDO SOBREVIVER   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Saga secundária: THE ORPHANAGE - TENTANDO SOBREVIVER
Voltar ao Topo 
Página 2 de 3Ir à página : Anterior  1, 2, 3  Seguinte
 Tópicos similares
-
» cartuchos saga rabbit
» Munições SAGA
» Cartuchos SAGA 32g N.º 8-Opinião!?
» Opinião sobre cartuchos.
» Mota desliga-se, engasga-se, e não pega (ou a Saga de uma volta a casa; pick one)

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Hinata Sou ~ Wellcome :: ~ Navegando Na Pensão ~ :: *~* Aventuras Aqui *~*-
Ir para: